Sete passos para melhorar a leitura

Conheça técnicas para otimizar o tempo dedicado e a qualidade do aprendizado de textos, aulas em PDF e livros

HBR/DivulgaçãoHBR/Divulgação

atualizado 25/07/2019 9:08

O volume de leitura necessário para um concurseiro em preparação é muito grande e só de pensar nesse desafio, há uma tendência natural de adiar ou buscar soluções a fim de evitar ao máximo a tarefa. Conhecer técnicas que otimizam o tempo dedicado e a qualidade do conteúdo aprendido é a opção indicada.

A prática eficiente de lidar com qualquer material de concursos pressupõe o entendimento e a memorização das informações. Há uma explicação para o fato: livros, apostilas e aulas em PDF valorizam a habilidade visual.

Além disso, durante as avaliações, saber ler e entender rapidamente o que está sendo pedido para, então, responder a cada questão, é essencial para evitar problemas em não conseguir terminar a prova no prazo definido pela banca examinadora.

Por se tratar de uma prática exercida desde a infância, muitos candidatos consideram que nada poderia ser feito para melhorar os resultados e a maneira de decodificar tanto conteúdo. A coluna Vaga Garantida listou sete passos que favorecem e tornam mais proveitosos os momentos de estudo.

1 – Primeira leitura: rápida e ampla

Diante de um texto, é importante entender o contexto geral do assunto tratado, independentemente do formato apresentado. A primeira leitura começa com um recorte do capítulo ou da parte dele a ser lido. Ter uma visão ampla do que é apresentado aumenta o engajamento e o aprendizado que será aprofundado nas etapas seguintes.

Essa leitura pode ser feita como um escaneamento e em maior velocidade, mantendo uma atenção maior ao todo e não a aspectos pontuais, como conceitos e definições. As marcações e as anotações são dispensáveis.

2 – Segunda leitura: marcações pontuais

Depois de saber sobre o todo, uma segunda leitura é feita para identificação de aspectos essenciais e palavras-chave. A velocidade é um pouco menor que o passo anterior. Nessa etapa, apenas as marcações são recomendadas, tomando o cuidado para valorizar os tópicos, os conceitos-chave.

3 – Terceira leitura: revisão e anotações

A última leitura se destina a consolidar o entendimento e a encontrar o que será extraído para as anotações com base nas marcações. A técnica de leitura em três etapas costuma ser vista como um desperdício de tempo, entretanto, possibilita aumentar a qualidade de aprendizado e, com a redundância, reforçar a retenção e a memorização.

4 – Uso de guia visual

Ainda no tempo da pré-escola, os estudantes em fase de alfabetização usavam uma régua ou algum outro objeto que direcionasse os olhos ao longo do texto. A mesma proposta é recomendada aos concurseiros. O uso de um guia visual – uma caneta colorida ou marca-texto – evita que o movimento ocular se desvie para as linhas adjacentes e o direcione para o ponto focal desejado.

Essa simples atitude contribui para o aumento da velocidade de leitura e, por consequência, eleva o foco e a concentração. O método pode ser aplicado nas primeiras duas leituras citadas anteriormente.

Para tornar ainda mais eficiente, o marcador deve ser usado na mão não dominante, ou seja, na esquerda para os destros e na direita para os canhotos. A explicação é científica: com os dois lados do cérebro ocupados, o efeito de distrações é reduzido significativamente.

5 – Aplicativos e programas ledores

A tecnologia também está a favor dos bons leitores. Atualmente, existem programas para computadores e aplicativos para tablets e celulares que transformam os arquivos de texto em voz. Dessa maneira, além de ter o estímulo visual, há o reforço do áudio, que é mais bem aproveitado com uso de fones de ouvido.

Algumas das funcionalidades comuns nessas soluções são a definição da velocidade e a possibilidade de exportar o som, transformando uma apostila em PDF em áudio-aula, por exemplo.

6 – Leituras diversificadas

Ler livros de assuntos fora do conteúdo programático deve fazer parte da rotina dos concurseiros. Há algumas razões para incluir outras leituras: aumento do vocabulário, lazer e fortalecimento do hábito. Com apenas 30 minutos por dia é possível ler entre 20 e 30 páginas de obras literárias ou de desenvolvimento pessoal.

7 – Leituras acompanhadas de músicas

Ouvir música enquanto lê é uma prática comum dos concurseiros. Os maiores benefícios acontecem quando o som que chega aos ouvidos está em outro idioma e não é possível entender a letra ou são apenas sons instrumentais. Além de abafar os ruídos externos que provocam distrações e devaneios, os áudios binaurais estimulam as frequências cerebrais e promovem o relaxamento, o foco e a concentração.

As sintonias mais comuns são a beta, presente no estado de vigília, lógica e concentração; a delta, o mesmo estado de sono profundo; a theta, presente na meditação profunda e sono leve e a alfa, vinculada à meditação leve e relaxamento dos olhos. Esses sons podem ser encontrados em aplicativos de música.

 

 

 

SOBRE O AUTOR
Letícia Nobre

Jornalista especializada em concursos há mais de 10 anos. Desde 2012, ajuda candidatos de todo o país a lidar não só com suas emoções, mas também com o processo de organização, produtividade e aprendizagem usando técnicas de coaching.

Últimas notícias