Conheça as vantagens da programação neurolinguística para concurseiros

Metodologia comprovada cientificamente é aliada dos concurseiros que querem melhorar o desempenho e acelerar aprovação

iStock/Foto ilustrativaiStock/Foto ilustrativa

atualizado 10/08/2019 17:45

Basta passear um pouco pelas redes sociais para encontrar referências de sucesso e receitas para alcançá-lo. Além de imagens e textos inspiradores, estão os sentimentos de incapacidade, autocobrança e insuficiência daqueles que não conseguem (ou nem podem) estudar oito horas “líquidas” por dia, ou ter um planejamento de alto desempenho completamente atendido ao fim da semana. Entre a projeção do ideal e a realidade há um abismo para os concurseiros.

Será mesmo possível ser um concurseiro de alta performance sem sofrimento? A ciência por trás da programação neurolinguística (PNL) diz que sim. A metodologia se propõe a alterar os padrões mentais a fim de gerar ações mais próximas do desejado. No caso dos concurseiros,
encurtar ao máximo o tempo necessário para se tornarem competitivos para as provas sem que seja necessário um desgaste enorme de energia e emoções.

Para que a transformação ocorra, o foco é centrado na identificação e na alteração dos gatilhos que disparam atitudes e posturas consideradas improdutivas. A partir de novos modelos de pensamento emocionais e comportamentais – que começaram a ser elaborados ainda na década de 1970 –, torna-se possível superar e ressignificar valores, crenças, interesses e motivações pessoais.

Apesar de parecer bastante cético e racional, o sistema está longe de tornar seu praticante em uma pessoa com conduta robótica. A intenção é exatamente a inversa: aumentar a consciência e a clareza do rol de modus operandi. Ao observar e entender como age, o futuro servidor
poderá fazer escolhas mais assertivas a favor de seus objetivos.

Vista de longe, a PNL pode parecer mirabolante e até charlatanismo. Não é. Nem mesmo a sua capacidade de gerar resultados rápidos – em comparação a outras ferramentas comportamentais – tira o mérito dos benefícios. Aliás, os ganhos estão diretamente ligados à confiança em suas possibilidades e ao empenho individual.

A coluna Vaga Garantida traz uma lista com as três principais vantagens possíveis da PNL para os concurseiros. Seu aspecto condicional tem explicação: as benesses dependem que as desculpas e as resistências sejam abandonadas.

Confira as principais vantagens:

– Pensamentos positivos direcionados à ação

Os neurocientistas comprovaram que o cérebro não diferencia o que é real do que é projeção ou invenção. Tampouco tem a percepção clara da passagem do tempo. A prática das atividades de PNL possibilitam a conversão de pensamentos negativos que afetam a autoestima em frases afirmativas que empoderam e energizam uma pessoa.

Por essa razão que uma lista de afirmações com palavras e construção frasal positivas provocam ações também otimistas e de maior produtividade. Essas declarações repetidas diariamente alteram a imagem de si mesmo da mesma maneira que têm o poder de destruir o contexto emocional. É assim que o pensamento positivo pode ser um aliado dos concurseiros.

– Clareza na elaboração e execução de metas

Antes de tudo, a PNL é um instrumento de autoconhecimento. Nenhuma oferta de transformação de comportamento é viável sem o entendimento do estado atual. Ao compreender a trajetória da formação de pensamentos negativos, por exemplo, há como interferir no processo antes que as consequências negativas sejam atingidas.

Isso quer dizer que a distância entre um fato ruim e a retomada da postura desejada é encolhida. Assim, entre a frustração de não ter sido aprovado ou cumprido o roteiro de planejamento e a volta aos estudos, o tempo e a energia física e emocional desprendidos de um estado para o outro é cada vez menor. Mais autoconsciência, mais resiliência e, consequentemente, menos sofrimento e ansiedade.

A visão de todo processo carregado de auto-responsabilidade abre um leque de alterativas para decisões, mudanças de rota e melhorias na rotina de estudo. Afinal, o aprendizado dos conteúdos é afetado diretamente pelo contexto mental de cada concurseiro.

– Dias produtivos desde a primeira hora

Quando se tem um pacote de comportamentos pré-definidos que se deseja tornar hábitos, a PNL capacita para sua execução. Afinal, de que adianta uma montanha de pensamentos positivos sem gerar resultados?

É preciso agir para perceber as reais boas intenções da PNL. Um exemplo que tem se tornado conhecido é o clube das cinco. Trata-se de um repertório de atividades testadas por milhares de pessoas a partir das sugestões de Hal Elrod, autor de O Milagre da Manhã.

Ele sugere que acordar mais cedo – às 5h da manhã – e cumprir uma lista de afazeres aumenta a energia e o desempenho produtivo ao longo do dia. Entre as ações estão: meditar em silêncio, ler textos e histórias inspiradoras, praticar atividade física, escrever, expressar afirmações e visualizações. A ordem e o tempo dedicado pode ser personalizado, ainda que ele proponha as seis tarefas distribuídas em uma hora, a primeira do dia.

Para praticantes da PNL os afazeres são mais relevantes do que o horário em que são realizados, por isso, não poder ou não querer acordar tão cedo deixa de ser uma desculpa resistente à proposta. Sendo assim, a simplificação e a personalização das diversas alternativas da sistemática são, de fato, o fator determinante para o sucesso de suas aplicações.

SOBRE O AUTOR
Letícia Nobre

Jornalista especializada em concursos há mais de 10 anos. Desde 2012, ajuda candidatos de todo o país a lidar não só com suas emoções, mas também com o processo de organização, produtividade e aprendizagem usando técnicas de coaching.

Últimas notícias