“Sexcionário”: 20 palavras para compreender a diversidade do sexo

Já ouviu falar em demissexual, litossexual e sapiossexual? A coluna te explica o significado desses e de outros termos sobre sexualidade

Getty ImagesGetty Images

atualizado 09/10/2019 10:31

Mergulhar na sexualidade humana é se deparar com uma infinidade de variantes do desejo, práticas curiosas e predileções específicas. À medida que nossa compreensão sobre o tema expande, o vocabulário associado também cresce e gera dúvidas em muita gente. Afinal, o que quer dizer demissexual? E sapiossexual? Qual a diferença entre sexo, gênero e gênero fluido? 

Ficou em dúvida? Para esclarecer alguns termos e fortalecer a ideia de que sexo – e Pouca Vergonha – também “são cultura”, o Metrópoles selecionou 20 palavras que, além de sempre aparecerem nas rodas de conversa,  ajudam a compreender melhor as infinitas possibilidades das relações, inclusive embaixo dos lençóis. 

 

 

Confira nosso “minidicionário” da diversidade sexual:

Alossexual: ao contrário do assexual, alossexual é quem sente desejo sexual por outras pessoas. Aliás, o termo é mais comum no meio assexual, e é usado para definir pessoas que não se sentem da mesma forma. 

Androssexual: a androssexualidade é caracterizada pela atração sexual pela masculinidade. Mas, vale dizer: não necessariamente a masculinidade de um homem. Uma pessoa androssexual pode sentir atração por mulheres com características que considera “másculas”. 

Assexual: inserido no “+” do LGBTQ+, assexual é o termo que define pessoas que não sentem atração sexual por outras. O foco do termo é o desejo em si. Muitos assexuais fazem sexo, mas não sentem tanto interesse no ato, ou preferem ter experiências sexuais sozinhos.

Bicurious: segundo o Wikipedia, bi-curioso é um termo usado para se referir a alguém que não se identifica como bissexual ou homossexual, mas sente interesse íntimo por alguém do mesmo sexo. O termo também se aplica a pessoas que geralmente se identificam como homossexuais, e ainda assim demonstram atração por pessoas do sexo oposto. 

Chichisbeuísmo: do italiano cicisbeo, que significa galanteador, em tradução para o português. É uma forma de triângulo amoroso em que uma mulher casada, com o consentimento do marido, tem relações fixas com outro homem.

Demissexual: demissexuais são  pessoas que só sentem desejo sexual quando há sentimento envolvido, ou seja, apenas características físicas não são o suficiente para despertar  tesão na pessoa. É preciso algum laço afetivo, emocional ou intelectual.

Drag: expressão de gênero artística e temporária. Um artista que usa roupas associadas ao gênero feminino é Drag Queen, e quem usa elementos do universo masculino é Drag King.

Gênero: o termo está batido, mas é sempre importante esclarecer. Diferentemente do sexo, que é a designação médica de acordo com o órgão sexual – pênis, masculino; e vagina, feminino -, o gênero é socialmente construído, independentemente do órgão sexual. 

Gênero fluido: pessoa que flui pelos gêneros e, por isso, não se identifica unicamente com o masculino, feminino ou com o neutro. Durante a vida, ou no mesmo durante o dia, pode combinar elementos dos gêneros ou transitar entre eles.

Graysexual: traduzindo para o português, “gray” significa “cinza”, e remete à expressão “área cinzenta”, que dá ideia de subjetividade. A área cinzenta em questão fica entre a sexualidade e a assexualidade, o que significa que graysexuais sentem atração sexual em momentos esporádicos. 

Gynsexualgynsexual é o contrário do androsexual, ou seja, a premissa é se sentir atraído pela feminilidade, independente da identidade de gênero, podendo se tratar de uma mulher ou de um homem com feições que remetem ao feminino.  

Havaiano: sextoy democrático, o “havaiano” é uma prótese peniana de duas cabeças. Pode servir tanto para a dupla penetração numa pessoa ou para que casais possam receber a penetração simultaneamente.

Intersexo: o termo intersexo veio para caracterizar pessoas que, biologicamente, ficam entre o gênero masculino e  feminino. Antes, o termo que se utilizava era o conhecido “hermafrodita”, expressão que caiu em desuso e é considerada pejorativa. 

Sapiossexual: para os sapiossexuais, o que pesa é a inteligência. Pessoas que se identificam como sapiosexuais são indiferentes ao gênero e às características físicas. A atração sexual é movida pela admiração intelectual por outra pessoa. 

Sex Positive, Neutral e Repulsed: são as classificações do prazer para pessoas que se consideram assexuadas. Positive diz respeito àqueles (as) que consideram o sexo bom ou agradável; e sentem prazer ao fazê-lo. Neutral serve às pessoas que consideram o sexo normal, nem bom nem ruim, e não sentem prazer ao fazer sexo; já sex repulsed denomina pessoas que consideram o ato algo repulsivo. 

Skoliossexual: o termo caracteriza pessoas que sentem atração sexual exclusivamente por não binários (pessoas que não se identificam nem como homem nem como mulher).

Solossexual: é aquele que não sente nenhum tipo de desejo sexual por terceiros,  de qualquer orientação, sexo ou gênero. Solossexuais só sentem atração por si mesmas e costumam ser mais adeptas à masturbação do que a relações sexuais. 

Litossexual: sabe quando você tem tesão no crush, mas ele não retribui? Litossexuais são pessoas que curtem isso, e, se por algum acaso, o desejo passar a ser recíproco, a atração do litossexual desaparece. 

Pansexual: também conhecidos como omniosexuais, os pansexuais sentem atração e se apaixonam por pessoas – de forma ampla e sem preconceitos de gênero. Diferentemente dos bissexuais, pansexuais podem sentir atração por pessoas transgêneras e não binárias. 

Queer: adjetivo utilizado por algumas pessoas, em especial mais jovens, cuja orientação sexual não é exclusivamente heterossexual. De modo geral, para as pessoas que se identificam como “queer”, os termos lésbica, gay, e bissexual são percebidos como rótulos que restringem a amplitude e a vivência da sexualidade. O termo ‘queer’ também é utilizado por alguns para descrever sua identidade e/ou expressão de gênero. Quando a letra Q aparece ao final da sigla LGBTI+, geralmente significa queer e, às vezes, ‘questioning’ (questionamento de gêneros).

 

SOBRE OS AUTORES
Ranyelle Andrade

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá de Brasília. Antes do Metrópoles, trabalhou na redação do Clica Brasília. Foi assessora de imprensa do Iguatemi Brasília e do Restaurante Gero, do Grupo Fasano, além de ter integrado a equipe de jornalismo do Ministério do Desenvolvimento Agrário e coordenado a comunicação da Federação Nacional dos Policiais Federais.

Últimas notícias