Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Pura energia: 10 curiosidades sobre sexo tântrico que você não sabia

Muito mais que o ato sexual, a prática faz parte de um caminho espiritual que ativa a energia do prazer e conduz ao estado de consciência

atualizado 20/05/2020 11:03

Casal na cama entrelaçando as mãos Foto: Marin/Getty Images

Nos últimos anos, junto com a maior busca por autoconhecimento e as descobertas sobre a sexualidade, muito passou a se falar sobre o sexo tântrico. Mas ainda que se comente, pouco realmente se sabe sobre o assunto.

O tantra, que significa expansão por meio da percepção, vai além do sexo. Trata-se de um caminho espiritual que utiliza os pilares da respiração, som e movimento para aquietar a mente e ativar a energia sexual e conduzir a estados de consciência e felicidade.

Para desmistificar algumas crenças acerca do assunto, a terapeuta tântrica Priscila Rati entrega 10 curiosidades sobre o tantra:

1 – É uma filosofia matriarcal

No tantra, o feminino é reverenciado, e um dos motivos para isso é por poder gerar a vida. Por ter essa origem, promove o uso dos sentidos e busca caminhos de aceitação e desrepressão.

2 – O foco não é o orgasmo

O sexo tântrico se inicia no estado de presença do casal. É atencioso e, nele, se presta atenção ao que está fazendo na troca entre os dois, o que é um ato de reverência e respeito ao parceiro. O orgasmo pode acontecer como consequência, mas não é o objetivo.

3 – Não requer penetração

A penetração pode ser uma das etapas do sexo tântrico, mas não é obrigatório. Inclusive, faz parte da experiência descobrir os prazeres que existem além disso.

4 – Pode durar um dia inteiro

O sexo tântrico dura enquanto os amantes estiverem dispostos e presentes no momento, logo, não existe prazo. E é importante ressaltar que no tantra, o olho no olho, o “bom dia” dado com amor e respeito, as preliminares – tudo isso já é considerado sexo.

5 – Melhora a ansiedade

Como o foco do tantra é proporcionar um estado de consciência, a prática concede relaxamento à mente e ao corpo. Até mesmo quadros de ejaculação precoce e anorgasmia, se causados por ansiedade, podem melhorar e até mesmo ser curados.

6 – Nada de individualidade

O foco do sexo tântrico é sempre a generosidade, a troca entre os dois. Busca-se a igualdade e o equilíbrio entre as ações, o fluxo de energia e o prazer. Ou seja, aqui a ideia de prazer individual não existe.

7 – É para todos

Ao contrário do que se pode pensar, qualquer um pode praticar sexo tântrico – independente de idade, gênero ou qualquer outra coisa. Basta estar presente e atento à parceria e se permitir buscar o equilíbrio entre o dar e receber em todas as esferas, seja energia, toques físicos ou prazer.

8 – Técnicas auxiliares

O sexo tântrico pode envolver a prática de meditações e exercícios que se baseiam na canalização da energia pelo corpo e no uso do desejo. Elas auxiliam o casal a aumentar a conexão e a intimidade, encorajando a experiência, a criatividade, a liberdade e a descoberta.

9 – É diferente para homossexuais

Parte-se do princípio de que dentro das pessoas existe a energia feminina e a masculina, que no sexo tântrico irão se fundir, se modificar entre os dois corpos, de uma forma contínua e equilibrada. Para os homossexuais, como os pólos físicos são iguais, eles se somam e produzem uma centelha tântrica. É uma forma diferente, mas prazerosa e única.

10 – Existe beijo tântrico?

Existe. O beijo tântrico é marcado pelo contato constante entre os lábios, sem pausas e sem deixar de estar presente. Sem ser ativo ou passivo. Simplesmente deixando fluir com delicadeza e consciência.

Quando se beija com a língua, ela reflete e liga diretamente os corações, enquanto os lábios dão e recebem afeto mútuo, gerando um intenso fluxo de energia. No beijo tântrico não existe o beijo de um ou o beijo do outro, e sim, o beijo dos dois.

Últimas notícias