Para que serve esse botão? Veja 10 curiosidades sobre o clitóris

A Pouca Vergonha reúne alguns fatos sobre o órgão que é um dos símbolos do empoderamento feminino

Cupcakes de vagina

atualizado 13/03/2020 11:50

Clitóris – o que é? Onde fica? Para que serve? Por incrível que pareça e ainda que tenha entrado em evidência nos últimos anos como um dos símbolos do empoderamento feminino, muitas pessoas não sabem dizer ao certo o que é um clitóris.

E as dúvidas não são exclusividade dos homens – que ganharam a fama de não saber achá-lo. Muitas mulheres não sabem identificar o próprio órgão ou mesmo sabem o (grande) poder que elas têm logo ali, entre as pernas.

A Pouca Vergonha foi atrás de 10 curiosidades sobre o clitóris e bateu um papo com a fisioterapeuta pélvica e sexual Carla Pereira, para ajudar a sanar algumas das dúvidas sobre um dos protagonistas do prazer feminino:

1 – A “chave” para gozar

Coincidência ou não, a palavra clitóris deriva de um termo do vocabulário grego, que significa chave. Faz sentido, já que o órgão, quando bem aproveitado, é o caminho certo para um orgasmo (ou vários).

2 – Ponta do iceberg

Quem vê aquela tímida bolinha localizada na parte superior da vulva não imagina que aquilo que aparece é apenas uma pequena parte, a pontinha do clitóris. Pouca gente sabe porque a maior parte deste órgão é interna, mas, em média, ele inteiro tem de 8 a 9 centímetros.

3 – Antes tarde do que nunca

Ao longo dos séculos, o clitóris e o prazer feminino eram um mistério também para a própria medicina. Prova disso é que apenas em 2009 (sim, já no século XXI) o clitóris foi mapeado em um estudo publicado no The Journal of Sexual Medicine.

Por meio dele descobriu-se que o equivalente ao pênis no corpo da mulher é o clitóris, e não a vagina. Os dois órgãos, que na fase adulta têm estruturas bastante parecidas, chegam a ser idênticos na fase de formação dos bebês, e apenas depois se diferenciam.

Estruturas do clitóris e do pênis
À esquerda, a estrutura de um clitóris. À direita, a de um pênis
4 – Ponto para as meninas

Ainda que, por muito tempo, o prazer e o orgasmo femininos tenham sido deixados de lado e, até mesmo, inferiorizados em relação aos dos homens, a real situação é o justo oposto. O clitóris tem o dobro de sensibilidade e potencial de excitação que a glande do pênis – enquanto o órgão masculino tem cerca de 4 mil terminações nervosas, o feminino tem em torno de 8 mil.

5 – “Só pro meu prazer”

Esta curiosidade é mais uma vantagem feminina: as mulheres são as únicas que têm um órgão que serve única e exclusivamente para dar prazer. Ao contrário do pênis, que também tem outras atribuições biológicas, o clitóris não tem outra função que não seja fazer a mulher gozar.

6 – Ereção, OK

Ainda que não seja muito perceptível como a masculina, o clitóris também fica ereto e aumenta um pouco de tamanho com a excitação. Com o tesão, o fluxo sanguíneo no órgão aumenta e o deixa mais inchado.

7 – Freud não explica

Ainda que importantíssimo para a ciência e a psicanálise, Freud tinha uma teoria controversa sobre a sexualidade infantil que colocava o clitóris como um instrumento de prazer apenas “para crianças”. Para resumir, Sigmund acreditava que o prazer clitoriano era característico da infância e adolescência, e que para uma “menina” virar “mulher”, ela teria que, eventualmente, “anestesiar” o prazer do clitóris para passar a ter o prazer vaginal – este, sim, considerado um prazer adulto.

Para Freud, o mesmo não acontecia com os homens, que mantinham a mesma sexualidade masculina desde a infância até a vida adulta. Por este motivo, quando as meninas percebiam a “desvantagem” sexual em relação aos homens, eram tomadas pelo que ele chamava de “inveja do pênis”.

8 – Mutilação clitoriana

A remoção inteira ou parcial do clitóris, chamada de clitoridectomia, ainda é uma realidade para milhões de mulheres pelo mundo. A prática está concentrada em 30 países na África e no Oriente Médio, mas – ainda que mais rara – acontece também na América Latina, Ásia, Europa Ocidental, América do Norte, Austrália e Nova Zelândia, de acordo com a ONU.

A mutilação, que não tem justificativas médicas, é feita como forma de “purificar” as mulheres, mas pode trazer traumas físicos e psicológicos. Muitas vezes também é feita a retirada dos pequenos e grandes lábios.

9 – Clitóris tem capuz?

Existe uma pele que envolve o clitóris que funciona como uma capa de proteção para aquela pontinha do órgão que fica para fora. Batizada de prepúcio do clitóris, também é conhecida como capuz clitoriano. Outra curiosidade é que algumas mulheres têm o capuz maior que outras. Mas não é motivo para preocupação, já que ele tem mobilidade e não interfere no prazer sentido.

10 – Item de decoração

Por ser um dos principais símbolos de empoderamento do movimento feminista, o clitóris ganhou diversas versões que variam desde objetos de decoração até bijuterias, pelúcias e enfeites de Natal. Na internet é possível encontrar uma infinidade de produtos para todos os gostos.

0

Últimas notícias