Para o alto e avante! 7 dicas para prolongar a ereção sem pílula azul

Mais que recorrer ao Viagra, existem outras formas de fazer o ápice do prazer masculino durar mais tempo. Saiba quais

UnsplashUnsplash

atualizado 24/08/2019 12:31

Recentemente, um cantor alemão entrou nos holofotes por ficar duas semanas hospitalizado devido a uma ereção permanente. O caso de priapismo que atingiu Danny Polaris ocorreu após seu parceiro, que é enfermeiro, aplicar medicamentos de disfunção erétil diretamente no seu pênis. O curioso acontecimento chamou atenção para atitudes desesperadas que muitos homens tomam com interesse de manter o órgão sexual em funcionamento por mais tempo na hora da transa. O gesto é arriscado e poderia ter causado até mesmo uma amputação.

No entanto, não é preciso recorrer a ideias malucas como a de Danny para garantir uma gozada relaxada. Segundo o urologista Tiago Serra, da clínica Veridium, os problemas com ereção atingem homens em diferentes idades. Caso aconteçam com frequência, precisam ser tratados como uma doença.

Embora o passar dos anos seja um agravante (pois os vasos sanguíneos também “envelhecem”), é algo que pode acontecer a qualquer momento da vida.

As causas são diversas. Podem ser psicogênias, ou seja, associadas ao psicológico; orgânicas, quando problemas de saúde comprometem a circulação, e o pênis é impedido de encher de sangue; e mistas, uma soma dos citados fatores mentais e físicos. Independente do diagnóstico, existem alguns conselhos básicos para prolongar o auge do prazer.

Aos detalhes!

Relaxe antes de gozar

A máxima “relaxe e goze” faz todo sentido. Não adianta tentar fazer sexo se a cabeça está tomada por estresse, fadiga e nervosismo. “Todos esses pontos levantados podem comprometer a perfomance do homem e causar a ejaculação precoce ou retardada, ou até mesmo a impotência”, alerta o médico.

Segundo Dráuzio Varella, questões emocionais são as mais incapacitantes ao homem na hora do “rala e rola”. Ou seja, muitas vezes, melhor que tomar Viagra é, por exemplo, fazer alguma atividade que elimine preocupações externas. Vale meditação, yoga ou esportes. Anotado?

Faça seus exames!

Não adianta querer ter a performance de um astro da indústria pornográfica se os cuidados com a saúde não estão em dia. “Aqueles pacientes que têm problemas de saúde que podem ser fatores de risco para problemas de ejaculação devem ficar mais atentos e manter sempre as consultas”, avalia Tiago Serra.

Vá sem pressa

A não ser que a ideia seja uma rapidinha, reserve um tempo de qualidade para fazer amor (ou, aos mais ousados, sexo selvagem) com sua parceira ou parceiro. A pressa, nesse caso, é inimiga da perfeição. Entenda que o ato sexual começa desde a escolha da música e do vinho (importante: não exagere, pois o álcool pode interferir negativamente), e comece trabalhando a imaginação. Enquanto escolhe o rótulo ideal, que tal imaginar as posições que pretende fazer, e trocar sugestões com a/o companheira (o)? Criar um terreno saudável e aberto ao diálogo ajuda para que ambos cheguem a denominadores comuns, e sem correria. Deixe os dead lines apressados para a hora do trabalho.

Se for o caso, recorra a medicamentos orais

Antes de tudo, o lembrete: jamais se automedique. Muita gente imaginava que a única saída à disfunção é a afamada pílula azul. “ Como opção, temos o tratamento contínuo, no qual são prescritas dosagens diárias de medicamentos com a mesma função – otimizar a circulação sanguínea”, explica o urologista.

Masturbação pré-sexo

Uma saída encontrada por muitos homens é se masturbar e atingir a ejaculação algumas horas antes do date. Assim, a segunda ejaculação demoraria mais tempo para acontecer. A eficácia, entretanto, não é 100% comprovada. Existe a chance de “relaxar demais”, e a ereção completa não acontecer. Outro truque popular é, durante as carícias, sozinho, segurar a glande quanto a vontade de expelir o sêmen surgir. Faça o exercício de duas a três vezes por semana.

Musculação peniana e pélvica

Outra dica é colocar uma toalha sobre o pênis e, concentrado, fazer força para tentar levantá-la. Isso pode ajudar no controle da musculatura e na rigidez. Também vale a pena colocar, na academia, séries de exercícios que ajudem a fortalecer o assoalho pélvico, como deitar com os joelhos dobrados e elevar o bumbum. Tente praticar 3 vezes por semana, em séries de 10 repetições.

Próteses penianas

Embora enfrente resistência de uma parcela do público (há quem tenha preconceito e associe apenas a casais homossexuais), as próteses permitem uma penetração sem sustos e pode ajudar quem enfrenta problemas com a rigidez do órgão. Se jogue sem medo!

SOBRE O AUTOR
Rebeca Oliveira

É formada em comunicação social e pós-graduada em jornalismo digital e produção multimídia pelo Centro Universitário Iesb. Possui cursos nas áreas de jornalismo de moda pela Escola de Negócios da Moda (EnModa) e de fotografia pela Universidade de Brasília (UnB). Atuou como repórter de cultura e gastronomia no Correio Braziliense e de comportamento nas revistas Encontro Brasília e Encontro Gastrô. Como freelancer, colaborou com portais como o HuffPost Brasil. Durante dois anos, foi editora-chefe do site e redes sociais do GPS|Lifetime.

Últimas notícias