Alarga? Dá hemorroidas? Confira os 9 maiores mitos sobre o sexo anal

Para a coluna Pouca Vergonha, sexólogo desmistifica crenças sobre a prática, ainda repleta de tabus

atualizado 02/07/2020 11:04

Árvore com formato de ânus Foto: Fernando Trabanco Fotografia/Getty Images

Mesmo no século XXI e em meio à época que mais se fala sobre sexo e sexualidade, ainda existe muitas dúvidas e mitos que permeiam o tema. Principalmente quando se trata de sexo anal.

Ainda que polêmico, o “sexo por orifício rugoso” é mais praticado do que se pensa e pode ser fonte de muito prazer, tanto para mulheres quanto para homens (independente de orientação sexual, combinado?).

Para desmentir algumas crenças erradas que existem sobre o sexo anal e acender o sinal verde aos que ainda tinham dúvida, a Pouca Vergonha conversou com o sexólogo André Almeida e traz uma lista com nove mitos sobre o anal:

O sexo anal alarga o ânus

“É mentira. Na verdade, o que acontece é o maior relaxamento da pessoa, consequência do costume com o sexo anal. Mas o ânus não ‘alarga’”.

O sexo anal solta o intestino

“Não existe relação entre prisão de ventre com movimento e estimulação no reto. Ou seja, aumentar a frequência do sexo anal não vai fazer com que você fique com um intestino mais solto, até porque isso depende de vários outros fatores, como baixa quantidade de fibras ingeridas etc.”.

Nunca vai deixar de doer

“Isso é um mito. Quanto mais relaxada, preparada e tranquila a pessoa estiver, melhor será. O sexo anal pode chegar a, inclusive, não doer nada”.

Pode alternar a penetração entre ânus e vagina

“Isso não é recomendado nem com camisinha. Quando você alterna, você pega bactérias da flora anal e coloca na vagina, o que pode levar a infecções urinárias”.

Causa hemorroidas

“É mentira. Hemorroidas são veias que estão no ânus e se dilatam, e estão mais relacionadas a questões hereditárias e de pressão, como quando a pessoa faz muita força para defecar, por exemplo. Mas não há relação científica entre sexo anal e hemorroidas. O que pode acontecer são fissuras, caso o ânus não esteja bem lubrificado”.

Não é possível ter orgasmo com sexo anal

“Muitas pessoas atingem o orgasmo com o sexo anal – mulheres e principalmente homens, porque de 8 a 13 centímetros de fundura no reto, você atinge a próstata, que é um ponto de prazer muito grande. Também vale para mulheres trans que ainda tenham a próstata. Mas para mulheres cis também há muito prazer, algumas conseguem chegar ao orgasmo só com sexo anal”.

Só dá para fazer depois da chuca

“Se a pessoa tiver defecado um tempo antes, umas duas ou três horas, o canal já vai estar sem produção de fezes. Claro que pode haver resquícios, mas é preciso ter consciência de que o sexo anal envolve essas questões”.

É normal sangrar

“Não é nada normal sangrar. Por mais que seja uma área muito vascularizada e com muitos vasos capilares que podem se romper, o sangramento sinaliza que pode ter alguma coisa errado e talvez seja melhor averiguar”.

Dá para fazer “no seco”

“Não, de forma alguma. A lubrificação é importantíssima. Sexo anal sem lubrificantes pode causar fissuras, porque o ânus é uma região que, anatomicamente, não produz lubrificante próprio. Não façam sem! Pode comprometer a experiência e causar traumas que desmotivem que a prática seja levada adiante”.

Últimas notícias