Polícia encontra 324 mil camisinhas usadas em fábrica de “reciclagem”

Fábrica clandestina lavava e remodelava os preservativos em consolos de madeira, antes de revendê-los ao público desavisado

atualizado 24/09/2020 7:48

Camisinhas usadas Bing Doung's Management/Reprodução

Um bom aviso a quem for viajar ao Vietnã (agora ou depois da pandemia de coronavírus) e pensar em sexo: leve suas próprias camisinhas. A polícia vietnamita apreendeu, nessa quarta-feira (23/9), cerca de 324 mil preservativos usados em uma fábrica clandestina, que seriam revendidos.

No local, a polícia informa que encontrou 360 quilos de preservativos usados e milhares de outros embalados e pronto para venda, sem qualquer marca impressa. A fábrica ilegal estava disfarçada em um armazém na província de Binh Duong, no Sul do Vietnã.

0

Vários trabalhadores eram pagos para limpar as camisinhas usadas e depois remodelar os produtos usando consolos de madeira, para que parecessem novos.

Depois do processo, os preservativos eram então embalados e revendidos ao público local desavisado.

Proprietária presa

Segundo o site de notícias local VN Explorer, a proprietária do local, identificada como Pham Thi Thanh Ngoc, de 32 anos, foi presa. Aos investigadores, ela contou que recebia pacotes de preservativos usados uma vez por mês de uma pessoa desconhecida.

As autoridades do país investigam o caso.

Últimas notícias