Filho de Mauricio de Sousa relata homofobia na web: “Agora é crime”

Mauro Sousa expôs um comentário ofensivo e revelou que não ficará mais calado diante de casos como esse

Reprodução/InstagramReprodução/Instagram

atualizado 15/06/2019 12:43

Com planos de inserir um personagem gay nos quadrinhos da Turma da Mônica, Mauro Sousa, filho de Mauricio de Sousa – autor da história –, foi vítima de homofobia nas redes sociais. Indignado, o rapaz expôs o comentário em seu perfil no Instagram e deixou claro que não ficará calado.

Na internet, o responsável pela mensagem ofensiva havia declarado reprovação por Mauro substituir o pai nas aventuras da Mônica. “Tenho 56 anos, fui fã da revistinha Turma da Mônica. Infelizmente, hoje Mauricio de Souza, sem forças para decidir sua vida, vai deixar um viadinho desfazer seu sucesso de décadas…”, escreveu.

Sem revelar o nome do internauta, Mauro promoveu uma crítica ao comentário e citou a criminalização da homofobia, decretada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nessa quinta-feira (13/06/2019).

“Em uma reportagem recente, eu comentei, sim, que havia planos de um personagem gay na Turma da Mônica e, por conta disso, o infrator fez o comentário homofóbico acima. A diferença entre ontem e hoje é que ontem ele era apenas mais um hater. Mas hoje, é um criminoso e pode ir para a cadeia. Não, eu não vou ficar calado. Não, eu não quero mais aceitar que me chamem de ‘viadinho’. Só quem pode me chamar assim sou eu mesmo. E sim, a LGBTfobia agora é crime. Beijos coloridos”, rebateu Mauro.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Oi, seguiMores! Sabe… eu geralmente prefiro postar coisas legais e felizes, mas dessa vez, resolvi fazer esse post. Não para expor ninguém, mas para informar os mais desinformados. Em uma reportagem recente, eu comentei, sim, que havia planos de um personagem gay na Turma da Mônica e, por conta disso, o infrator fez o comentário homofóbico acima. A diferença entre ontem e hoje é que ontem ele era apenas mais um hater. Mas hoje, ele é um criminoso e pode ir para a cadeia. Não, eu não vou ficar calado. Não, eu nao quero mais aceitar que me chamem de “viadinho”. Só quem pode me chamar assim sou eu mesmo. E sim, a LBGTfobia agora, é crime. Beijos coloridos 😘🌈 #lovewins

Uma publicação compartilhada por Mauro Sousa (@maurosousa) em

SOBRE O AUTOR
Saullo Brenner

Integrante da equipe do portal desde agosto de 2017, atua como repórter e social media. É autor do livro A Confissão de Palomino, publicado em 2019 pela Editora Metrópoles, e foi finalista do Prêmio Abracopel, na categoria Internet, em 2018.

Últimas notícias