Blackout Tuesday: entenda por que o seu feed está cheio de imagens pretas

A iniciativa tem o intuito de interromper as atividades diárias para fazer um protesto virtual

atualizado 02/06/2020 9:54

Talvez você tenha aberto o Instagram na manhã desta terça-feira (02/06) e viu imagens pretas publicados por pessoas que você segue. O que está tomando conta das redes sociais faz parte de um movimento contra o racismo. Chamado de Blackout Tuesday (terça-feira do apagão, em tradução livre), a iniciativa tem o intuito de interromper as atividades diárias para fazer um protesto virtual.

As publicações são seguidas de algumas hashtags, como #VidasNegrasImportam, #BlackLivesMatter, #BlackoutTuesday e #TheShowMustBePaused (algo como o espetáculo precisa ser pausado).

O movimento foi organizado por empresas do setor da música e começou fora do Brasil. Em pouco tempo, tomou conta das redes sociais. A Apple Music apagou todas as publicações no Instagram, e deixou apenas um vídeo e uma foto do movimento. O Spotify aderiu à campanha e prometeu inserir 9 minutos de silêncio entre músicas e podcasts, em alusão ao tempo em que George Floyd ficou preso ao joelho do policial Derek Chauvin, o que culminou na sua morte. A plataforma afirmou que também irá amplificar as vozes negras.

0

Empresas como: Capitol, Warner Music Group, Interscope Records, Motown, Caroline, Kobalt, Electric Feel Management, LVRN, Universal Music Group, Ingrooves, UMPG e Pulse Music Publishing também anunciaram a participação.

A indústria musical brasileira também aderiu ao movimento, incluindo: Som Livre, Warner Music Brasil, Sony Music Brasil, Ingrooves Brazil, ONErpm, UBC, Universal Music Brasil, além da Deezer Brasil, que compartilharam declarações em suas redes sociais com a hashtag #VidasNegrasImportam.

Últimas notícias