Reguffe afirma que votará contra aumento do fundo eleitoral

Montante de R$ 3,8 bilhão foi incluído pelo relator da matéria à Comissão Mista do Orçamento e ainda será analisado pelo Congresso

Daniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 09/12/2019 19:34

O aumento do fundo eleitoral para candidatos de 2020 foi alvo de críticas do senador José Antônio Reguffe (Podemos-DF) nesta segunda-feira (09/12/2019), durante discurso no plenário do Senado Federal. O congressista anunciou que votará contra a medida que turbina os recursos para as campanhas políticas e classificou o texto como “vergonhoso”.

“Não é algo razoável, principalmente pelo momento que o Brasil vive. Em qualquer momento que fosse já não seria algo razoável, quanto mais atualmente. Esse aumento é um acinte, uma agressão e um verdadeiro escárnio com o contribuinte deste país, e terá meu voto contrário, assim como votei na Legislatura passada contra a criação desse fundo”, adiantou.

A previsão é de aumentar o fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões em 2020. O texto precisa ainda passar pelo plenário do Congresso. A mudança foi incluída pelo relator-geral do Projeto de Lei Orçamentária para 2020, deputado federal Domingos Neto (PSD-CE), no relatório apresentado à Comissão Mista de Orçamento (CMO).

O parlamentar lembrou que, na última terça-feira (03/12/2019), votou durante sessão do Congresso pela manutenção do veto presidencial que proibiu a recriação da propaganda partidária em rádio e TV fora do período eleitoral. Segundo Reguffe, o prejuízo aos cofres públicos seria de R$ 1,5 bilhão até 2022.

Últimas notícias