*
 
 

Conhecida como a pasta dos “votos de ouro”, por ser responsável pelos programas de distribuição de renda, a Secretaria de Desenvolvimento Social na gestão de Ibaneis Rocha (MDB) virou alvo de disputa entre partidos que integram a coalizão do futuro governo emedebista. Representantes do PP, do PSDB e do próprio MDB tentam convencer o próximo titular do Palácio do Buriti sobre quem é o mais apto a comandar a área social do Governo do Distrito Federal (GDF).

Ibaneis busca um nome de consenso e que não melindre aliados, para não chegar com problemas já no primeiro dia de governo. Para isso, deve mergulhar, nas próximas horas, nas indicações que tenham menor impacto político.

Atualmente, a pasta ocupa uma grande estrutura e é chamada de Secretaria de Estado de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh). Contudo, Ibaneis já sinalizou que desmembrará as áreas hoje reunidas num único órgão e deixará apenas duas pastas: Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Até agora comandado por Ilda Peliz, aliada e indicação pessoal do governador Rodrigo Rollemberg (PSB), o órgão passará por reformulação e terá estrutura mais enxuta a partir de janeiro de 2019.

Sem consenso sobre quem deve comandar a importante secretaria – uma das últimas que ainda não tiveram anúncio confirmado pelo governador eleito –, os partidos aliados prometem investidas até a quinta-feira (13/12), quando deve ser sacramentado quem ficará responsável pelos programas sociais do GDF.



 


governo de transiçãoDesenvolvimento Socialsedestmidhibaneis rocha