Na prévia do Brics, Brasil e Rússia ampliam relação bilateral

Fórum entre os países antecede a cúpula internacional e reúne investidores estrangeiros com potencial de US$ 50 bilhões em investimentos

Acervo / Embaixada da RússiaAcervo / Embaixada da Rússia

atualizado 08/11/2019 14:57

Nas vésperas da realização da XI Cúpula do Brics, que acontece na próxima semana em Brasília, a capital federal recebe outro evento com potencial de atrair investimentos estrangeiros para o país. O Fórum Brasil-Rússia será realizado na próxima segunda-feira (11/11/2019), das 8h30 às 18h30 , no auditório do Centro Universitário Iesb (609 Norte).

O evento tem fôlego para atrair 700 players de negócios, entre empresários, investidores e representantes governamentais do Brasil, Índia, África do Sul, China e Rússia. O tema será transporte sustentável e comércio.

Um dos objetivos do fórum é expandir as relações entre os dois países e ampliar o cenário comercial — atualmente concentrado em exportações brasileiras de gêneros agropecuários — também para a infraestrutura. Há potencial de US$ 50 bilhões que o Brasil pode fisgar em investimentos russos.

Para se ter ideia, em 2018, o Brasil somou US$ 1,6 bilhão em exportações para o país. Desse montante, 55%  vieram de produção agrícola, como soja, café, amendoim e açúcar.

Durante o evento, serão seis painéis com temas que variam de agropecuária e pesca a inovações tecnológicas, defesa e segurança. De acordo com a organização, os ministros Tarcisio Gomes (Infraestrutura), Tereza Cristina (Agricultura), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações) e o presidente da Apex-Brasil, almirante Sergio Segovia, estão entre as autoridades confirmadas. Embora não confirmada, há a expectativa de participação do governador Ibaneis Rocha (MDB).

Complexo

Recentemente, a Acron — uma das gigantes russas na área de fertilizantes minerais — comprou a Unidade de Fertilizantes Nitrogenados 3 (UFN3), que pertencia à Petrobras, localizada no município de Três Lagoas (MS). O Ministério Público Federal (MPF) solicitou o embargo após acusar ex-gestores da estatal brasileira de pagamentos irregulares para a construção.

Paradas desde 2014, as obras do complexo foram retomadas pela nova proprietária. Até agora, 83% foram concluídas.

“Tenho certeza de que esse evento nos permitirá abrir uma nova página nas relações econômicas bilaterais entre os dois países”, disse Sergey Akopov, embaixador da Rússia no Brasil (na foto em destaque, assinando termo de cooperação). Além da Embaixada da Rússia, o evento é organizado pela Câmara de Comércio Brasil–Rússia e pela Frente Parlamentar Brasil–Rússia.

Brics

O Brics é o agrupamento formado por cinco grandes países emergentes — Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul — que, juntos, representam cerca de 42% da população mundial, 23% do produto interno bruto (PIB), 30% do território do planeta e 18% do comércio global. A XI Cúpula do grupo ocorrerá nos dias 13 e 14 de novembro de 2019, no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

É a segunda vez que o encontro é realizado em Brasília. A primeira edição, ocorrida em 2010, o evento defendeu temas referentes à reforma do sistema financeiro mundial. Na oportunidade, os líderes assinaram acordo de cooperação para facilitação do financiamento de obras e projetos de energia e infraestrutura.

Reprodução

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias