*
 
 

O comando nacional do PSDB já dá como certo o recuo na pré-candidatura do deputado federal Izalci Lucas ao Governo do Distrito Federal (GDF). A decisão do tucanato de alta plumagem é pragmática: após o esvaziamento da chamada terceira via, que chegou a reunir 12 diferentes legendas brasilienses, a direção do ninho avalia ser mais viável o partido aderir a uma candidatura mais forte para garantir palanque competitivo ao presidenciável Geraldo Alckmin no DF.

Incomodado com a avaliação dos correligionários, Izalci tem negado mudança de planos. Em entrevista à rádio Metrópoles (104,1 FM) na manhã desta sexta-feira (13/7), o presidente do PSDB-DF reafirmou a decisão de concorrer ao Palácio do Buriti. A confirmação ocorre justamente no dia em que o atual líder nas pesquisas de intenção de voto a governador, o ex-secretário de Saúde Jofran Frejat (PR), sinalizou hipótese de desistência da corrida ao principal cargo do Executivo distrital.

“Não existe essa possibilidade com relação à nossa candidatura. Nessa fase final de [montagem de] coligações, é natural surgirem diversas conversas, que são frutos de alguém ter ouvido alguma coisa, mas sem combinar com os ‘russos’”, disse Izalci ao programa Cabeças da Notícia, da Metrópoles FM.

O deputado federal já vinha enfrentando embates dentro do partido, devido à resistência de filiados insatisfeitos com a possível candidatura do correligionário e com sua manutenção na presidência regional da sigla.

Além disso, houve diferenças dentro da coalizão integrada pelo PSDB, a terceira via. Os coordenadores da aliança, senador Cristovam Buarque (PPS) e deputado federal Rogério Rosso (PSD), passaram a reavaliar a pré-candidatura do tucano, devido à instabilidade de Izalci no próprio partido e, também, às constantes pressões sofridas por legendas aliadas.

Para evitar a sensação de abandono em torno da candidatura do tucano, os caciques da agremiação planejam uma saída honrosa ao correligionário. Não querem deixar o aliado com imagem de derrotado.

No entanto, ainda há margem para demover o comando nacional da sigla da disposição de abandonar o projeto capitaneado por Izalci Lucas: a possível desistência de Jofran Frejat da disputa ao Buriti pode mudar o jogo e forçar o tucanato nacional a investir na corrida do correligionário pela sucessão no Palácio do Buriti. Ou seja: o futuro de Izalci está nas mãos da concorrência.



 


geraldo alckmindesistênciaeleições 2018Palácio do BuritiCristovamRossoIzalci Lucas