*
 
 

Depois de uma decisão judicial que a tirou da Câmara Legislativa (CLDF) como titular, Telma Rufino (Pros) tomou posse nesta terça-feira (8/1), como suplente, para o seu segundo mandato parlamentar. O certificado foi entregue pelo presidente da Casa, deputado Rafael Prudente (MDB), e contou com a presença do segundo-secretário, deputado Robério Negreiros (PSD).

Telma foi diplomada em dezembro de 2018, mas uma ação impetrada pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) foi acolhida pela Justiça Eleitoral e a deixou na suplência. A legenda havia recorrido ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que fossem reconhecidos os votos destinados aos seus candidatos. A decisão da Corte fez com que a recontagem garantisse a cadeira à distrital Jaqueline Silva (PTB).

Sem mandato, a então ex-distrital havia sido nomeada para exercer um cargo na liderança do Pros na CLDF. Com o convite do novo governador, Ibaneis Rocha (MDB), para que Fernando Fernandes (Pros) assumisse a Administração de Ceilândia, Telma acabou herdando a cadeira.

No entanto, se depender de Fernandes, o mandato da correligionária deve durar pouco tempo. O delegado garantiu que a passagem pelo comando da maior e mais populosa cidade do DF será temporária. “Como integrante da base do governo e tendo sido o mais votado em Ceilândia, aceitei o convite do nosso governador de arrumar a administração, mas, tão logo isso seja feito, voltarei à Casa. Isso deve durar de três a seis meses”, afirmou o titular.



 


TSETRECLDFtelma rufinosuplenteFernando Fernandesdeputada distrital