*
 
 

Atual presidente da Companhia de Saneamento do Distrito Federal (Caesb), Maurício Luduvice rebateu, nesta terça-feira (20/11), as críticas feitas pelo engenheiro Fernando Leite, anunciado pelo governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) como o próximo comandante da estatal.

Entre os pontos elencados em entrevista coletiva, na manhã desta terça, Leite repreendeu a atual administração pela gestão da crise hídrica. Segundo o futuro gestor, a interrupção do racionamento de água promovida pela equipe de Rodrigo Rollemberg (PSB) em junho deste ano foi equivocada. “Respeito a decisão tomada, mas deveriam ter esperado condições técnicas mais favoráveis”, disse.

Luduvice, por sua vez, condenou a declaração. Segundo o presidente da companhia, o racionamento  “só serviria para aumentar o sofrimento da população, principalmente das camadas mais pobres”. “Criaria dificuldades para o setor produtivo – comércio, indústria e agricultura – com repercussão negativa na geração de emprego e renda”, completou.

Equilíbrio
O atual mandatário acrescentou que, no período de seca (de julho a setembro), os reservatórios estavam em níveis bem acima do limite mínimo estabelecido pela Adasa, sendo desnecessária a ampliação do rodízio.

Segundo Maurício Ludovice, essa situação de equilíbrio aconteceu devido “aos investimentos realizados em tempo recorde, à melhoria do sistema de abastecimento, ao apoio da população e ao trabalho dedicado e competente dos empregados da Caesb”.



 


Caesbgoverno de transiçãoFernando LeiteMauricio Luduvice