Acre se prepara para iniciar vacinação no dia 22 de janeiro, diz governador

Ao Metrópoles, Gladson Cameli (PP) disse que, caso haja autorização da Anvisa, a expectativa é de iniciar campanha com 60 mil doses

atualizado 14/01/2021 14:20

Beto Oliveira/Câmara dos Deputados

O governador do Acre, Gladson Cameli (PP — foto em destaque —), afirmou ao Metrópoles, nesta quinta-feira (14/1), que a expectativa é de que a campanha de vacinação contra a Covid-19 comece no estado a partir de 22 de janeiro. A afirmação ocorreu depois de um encontro entre o integrante do Progressistas com o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, ocorrida na tarde de quarta-feira (13/1).

“A Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] se reúne no domingo (17/1) para definir a situação das vacinas, tanto a do Butantan quanto a da Fiocruz. A decisão sendo positiva, o órgão terá mais quatro dias úteis para que o prazo seja cumprido. Contando com esse período, tudo sendo positivo, a nossa previsão no Acre, e eu confirmei com o ministro, é de começar a vacinação no dia 22 de janeiro”, afirmou Cameli à coluna Janela Indiscreta.

De acordo com o governador, a estimativa é que, logo na primeira fase da campanha, haja a disponibilidade de 60 mil doses. “Até a primeira quinzena de fevereiro, teremos um número total de 160 mil doses, o que inclui também a população indígena. Se tudo ocorrer bem dentro dos tramites da Anvisa, começaremos a vacinação às 8h do dia 22, horário do Acre [10h no horário de Brasília]”, frisou.

Prefeitos

Nesta quinta-feira (14/1), o prefeito de Florianópolis (SC), Gean Loureiro, adiantou, em rede social, que a vacinação contra a Covid-19 pode começar na próxima quarta-feira (20/1), em todo o país.

Loureiro se reuniu com mais de 100 prefeitos e com o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, que anunciou o início da campanha de imunização para o dia 20 de janeiro. O governo prevê a aplicação de 8 milhões de doses ainda neste mês.

“Apesar de [haver] mais de 8 milhões de doses no Butantan, o pedido na Anvisa foi para 6 [milhões]. Por isso, nesse primeiro momento, serão 6 milhões da Coronavac e 2 milhões da AstraZeneca para quarta, dia 20″, anunciou Gean.

“A intenção é que as vacinas que chegarem já prevejam as duas doses”, complementou o prefeito. Logo, se uma cidade receber, por exemplo, 20 mil doses, serão aplicadas em 10 mil pessoas.

Últimas notícias