Covid-19: Pazuello diz a prefeitos que vacinação começa no próximo dia 20

Neste mês, serão distribuídas 8 milhões de doses das vacinas desenvolvidas pelo Butantan/Sinovac e pela AstraZeneca/Oxford

atualizado 14/01/2021 13:16

Pazuello anuncia aquisição de 100 milhões de doses da vacinaIgo Estrela/Metrópoles

O prefeito de Florianópolis (SC), Gean Loureiro, disse nesta quinta-feira (14/1), em rede social, que a vacinação contra a Covid-19 pode começar na próxima quarta-feira (20/1), em todo o país.

Loureiro se reuniu com mais de 100 prefeitos e com o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, para discutir o início da imunização. O governo prevê a aplicação de 8 milhões de doses, ainda neste mês.

“Apesar de [haver] mais de 8 milhões de doses no Butantan, o pedido na Anvisa foi para 6 [milhões]. Por isso, nesse primeiro momento, serão 6 milhões da Coronavac e 2 milhões da AstraZeneca para quarta, dia 20″, anunciou Gean.

“A intenção é que as vacinas que chegarem já prevejam as duas doses”, complementou o prefeito. Logo, se uma cidade receber, por exemplo, 20 mil doses, serão aplicadas em 10 mil pessoas.

“O Ministério prefere assim, porque a segunda dose é após 3 semanas”, ressaltou Gean. “Primeiro grupo agora em janeiro: profissionais de saúde, idosos em asilos e indígenas. Depois, idosos acima de 75 anos”, explicou, pelas redes sociais.

0

As informações foram confirmadas pelo prefeito de Maringá (PR), Ulisses Maia. “Agora, aguardamos autorização do Ministério da Saúde para comprar vacinas com recursos próprios”, enfatizou.

Em contrapartida, o presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Jonas Donizette, afirmou, logo após a reunião com o ministro da Saúde, que a campanha de vacinação no Brasil começará com 5 milhões de doses do imunizante produzido pela farmacêutica AstraZeneca e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O ministro da Saúde garantiu, na quarta-feira (13/1), que a imunização contra o novo coronavírus começará neste mês. Pazuello informou, sem dar detalhes, que Manaus (AM) terá prioridade no plano de vacinação.

“A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados, na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade”, disse. A capital registra, em janeiro, o maior número de novas internações por Covid-19.

O titular da Saúde afirmou ainda que os imunizantes serão distribuídos logo após a aprovação do uso emergencial das vacinas Coronovac e AstraZeneca pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O órgão regulador deverá se pronunciar sobre o tema no próximo domingo (17/1).

“Quando a Anvisa concluir a análise de segurança e eficácia, três ou quatro dias depois estamos distribuindo a vacina no Brasil. Ponto. A Anvisa vai se pronunciar no dia 17. Botem aí os números para frente”, destacou.

O ministro, no entanto, considerou a possibilidade de a Anvisa retardar a aprovação. “Se a Anvisa se alongar para o dia 22, botem os números para frente. Mas vai ser em janeiro”, prosseguiu.

Últimas notícias