*
 
 

O mundo da moda, composto por diferentes nichos, lança tendências baseadas principalmente no street style, que tem mudado toda uma geração. Foi-se o tempo no qual vestidos longos, saias volumosas, cabelos trabalhados e muita maquiagem definiam o luxo. Hoje, as ruas trazem um novo conceito: tênis, casacos, tracking suits e maxijoias.

Em busca de trazer essa demanda às passarelas, vemos o crescimento de novas marcas, como Off-White, Supreme e Stone Island, enquanto grifes mais renomadas – Gucci, Louis Vuitton e Fendi – dão uma repaginada, abusam das logos e adequam-se ao mote atual: mais conforto e menos amarras. 

Mas nem tudo são flores. Enquanto o luxo é redefinido por peças mais esportivas, ostentação parece ser a palavra da vez. À medida que o glamour chega ao fim, vemos os millennials transitarem pelo ambiente urbano vestindo, da cabeça aos pés, peças estampadas com logos de grandes grifes: a bolsa é Louis Vuitton, o cinto Off-White, a camiseta é Gucci, e os ugly sneakers são da Balenciaga. Para completar a produção, um boné Supreme.

Hoje, a moda é ostentar looks caríssimos com pegada street.

Vem comigo conhecer as marcas que andam influenciando esta geração!

 

O glamour que conhecemos hoje é uma herança das grandes estrelas de cinema do século 20. Cobertas de joias, vestidos, plumas, peles, penteados elaborados e belíssimos acessórios, elas carregavam produções luxuosas, andavam em carros conversíveis e carregavam, geralmente, uma echarpe na cabeça. O luxo era definido por um estilo clássico e elegante. Peças bem cortadas, tecidos nobres e joias ostensivas. Logomania sempre teve um edge cafona e nunca combinou com o glamour da época.

Acontece que, com o passar do tempo, vimos o crescimento da tendência luxury sport nas passarelas de grandes grifes, redefinindo o luxo com looks mais esportivos. Talvez seja fruto do movimento feminista, especificamente dentro do universo fashion, que tem permeado a moda em busca de liberdade. 

E o que significa isso exatamente? Ser funcional, com estilo, podendo usar vestidos de seda com casacos oversized e um belo par de tênis.

Nós, mulheres, queremos, principalmente, unir o chique ao confortável. Nada mais justo. Afinal, lidamos com muitas coisas no nosso dia a dia e, para tanto, praticidade é fundamental. Há algum tempo, as minibags estouraram porque nos permitiram ter uma vida mais prática carregando apenas o necessário, sem perder o estilo ou a classe.

Mas qual foi o resultado dessa ideia? Uma mistura desmedida entre conforto e ostentação. A tendência foge dos clássicos da alta costura.

Nos mínimos detalhes, a nova geração veste peças estampadas com logotipos das grandes maisons, e não hesita em transformar o look em um verdadeiro outdoor de etiquetas. O estilo é irônico: são peças simples, não carregam tecidos nobres e o corte não marca a silhueta, mas os preços são altíssimos.

A necessidade e o desejo por peças de grife continua o mesmo. O que muda por completo é o estilo da produção. No more glamour! O negócio agora é exibir a logomarca!

 

Balenciaga
label foi fundada no começo do século 20 pelo grande mestre da alta costura, o espanhol Cristóbal Balenciaga. Em julho de 2001, a grife foi comprada pela Gucci. Com as ideias inovadoras de Demna Gvasalia, vem deixando sua marca e está entre as queridinhas do momento.

Recentemente, deu o que falar na internet com o lançamento de uma camisa com mais de uma opção de uso. Além de criar algumas polêmicas, a Balenciaga tem investido na modernidade das ruas, apostando em peças oversized, na sobreposição e até em uma pegada futurista. Estampas florais, xadrez e animal print compõem a linha inverno 2018.

Reprodução/NowFashion

Desfile da Balenciaga no Paris Fashion Week 2018

 

Getty Images

Exposição da Balenciaga no Museu Victoria and Albert, em Londres

 

Getty Images

Paris Fashion Week 2017

 

Getty images

Balenciaga no Paris Fashion Week 2016

 

Getty Images

Botas da Balenciaga no street style da Alemanha

 

Divulgação/Balenciaga

Peças da coleção inverno 2018

 

Divulgação

 

 

Supreme
A brand é tão millennial quanto os adoradores. Criada em 1994, em Nova York, é considerada a maior marca do segmento street. Seu logotipo tornou-se um ícone da cultura underground e skater, e não é muito difícil encontrar um look com essa estampa durante uma simples visita ao Tumblr. Em 2017, a maison Louis Vuitton fez uma parceria com a grife americana.

Reprodução

Kendall Jenner e Cara Delevigne vestindo Supreme

 

Divulgação

Lady Gaga para a Supreme em 2011

 

Divulgação

Lady Gaga para a Supreme em 2011

 

Gucci
Fundada em 1921 na Itália, a Gucci é uma das marcas que representam bem a moda de luxo. A tradição artesanal italiana está sempre presente nas coleções da label. Atualmente, tem como diretor criativo Alessandro Michele, conhecido por se inspirar na arte e na história.

Em junho, o desfile cruise 2018 da marca aconteceu na França, no cemitério Alyscamps. A inspiração veio de rituais e do universo mórbido.

A grife italiana também estampa os looks dos jovens que ostentam pelas ruas. T-shirts, moletons e acessórios como bolsas e cintos dão o glamour procurado pelos consumidores atualmente.

Divulgação

 

Getty Images

A t-shirt Gucci vermelha deu vida e deixou o look mais despojado

 

Getty Images

Street style de Nova York com bolsa Gucci

 

Getty Images

Street style da Califórnia com cinto Gucci

 

Getty Images

O moletom Gucci deu um toque bem street ao look

 

Getty Images

Mais uma combinação com camiseta Gucci que deu versatilidade ao look

 

Getty Images

Bolsa Gucci no street style da Alemanha

 

Vetements
Uma das labels mais quentes do momento. Com pegada urban, foi criada em 2014. Demna Gvasalia (também responsável pela Balenciaga) é o nome por trás das criações, como diretor e fundador.

A ideia é mesclar o popular com o mercado de luxo, além de prezar por desfiles genderless (sem gênero). Jeans, camisas temáticas e vestidos desconstruídos são peças criadas pela marca que conquistam o público. O estilo de rua é fortemente retratado, mas com sofisticação. A grife mistura padrões, estampas e casacos volumosos.

Celebridades como Rihanna e Kenye West costumam usar roupas da marca, inspirando os adolescentes que curtem moda.

Getty Images

Desfile da Vetements no Paris Fashion Week 2018

 

Getty Images

Outro look desfilado no Paris Fashion Week 2018

 

Getty Images

Passarela da Vetements no Paris Fashion Week 2017

 

Getty Images

Street style da Austrália, com vestido da Vetements e bolsa da Balenciaga

 

 

Off-White
A grife de Virgil Ablogh foi criada em 2013 e conquistou espaço na indústria fashion. É símbolo das marcas que estão valorizando o streetwear no setor de luxo, com referências na arte e nos anos 1980. Disruptiva, a Off-White pode ser considerada um fenômeno.

Os grandes desfiles da label acontecem em Paris. As listras pretas e brancas diagonais são marca registrada, sem deixar de mencionar os moletons e os vestidos clássicos.

A coleção de outono 2018, por exemplo, mistura os estilos clássico e despojado. Investe em tons sóbrios, além das tradicionais estampas em xadrez.

Divulgação/Off-White

Desfile da Off-White no Paris Fashion Week 2018

 

Divulgação/Off-White

Look da Off-White, desfilado no Paris Fashion Week 2018

 

REPRODUÇÃO/VOGUE

 

Reprodução/Vogue

 

Reprodução/Vogue

 

Reprodução/Vogue

 

Reprodução/Vogue

 

Reprodução/Vogue

 

 

Divulgação/Off-White

Coleção En Plein Air

 

Getty Images

Street style de Paris com casaco Off-White

 

Divulgação/Off-White

Looks da coleção pre fall 2018

 

Reprodução/Instagram

 

Fendi
Para as últimas coleções, a italiana Fendi continua na onda que tem trabalhado há alguns anos, abraçando elementos do streetwear. É o caso da primavera-verão 2018. A proposta rendeu até uma inspiração da logo da Fila.

O tom sóbrio das peças ganha uma quebra com o shape e o material dos casacos, moletons e calças, que tornam-se sobreposições estilosas e despretensiosas.

Reprodução/Instagram

 

Getty Images

 

Getty ImagesGetty Images

 

Getty Images

 

Reprodução/Instagram

 

Burberry
A Burberry também tem brincado com a modernidade. As cores são vibrantes e a principal estampa foi a rainbow. Jaquetas, bombers e capas oversized, tênis exagerados, e uma série de acessórios traduzem a linguagem das ruas.

Getty Images

Burberry Prorsum Autumn Winter 2018

 

Getty Images

Burberry Prorsum Autumn Winter 2018

 

Getty Images

Burberry Prorsum Autumn Winter 2018

 

Reprodução/InstagramReprodução/Instagram

 

Reprodução/Instagram

 

Versace
A famosa marca italiana fundada em 1946 por Gianni Versace é hoje comandada pela irmã do estilista, Donatella Versace. Atualmente, faz parte dos looks de celebridades e vem conquistando clientes das novas gerações. A tradicional estampa barroca mistura-se ao moderno.

Getty Images

Milão Fashion Week 2018

 

Getty Images

Calça da Versace no street style de Nova York

 

Reprodução/Instagram

 

Reprodução/Instagram

 

O conforto é um dos principais critérios do estilo street: peças que deixem o corpo mais livre, tenham atitude e resgatem o espírito fashion.

Novas brands e outras, repaginadas, estão dando um show de marketing, conquistando cada vez mais espaço no mercado. 

De acordo com uma pesquisa feita pelo site The Business of Fashion em parceria com o Lyst, as marcas mostradas nesta matéria estão à frente de grifes renomadas e tradicionais, como Givenchy, Moncler e Dolce & Gabbana. Entre as cinco primeiras: Balenciaga, Gucci, Vetements, Off-White e Stone Island. A Valentino e a Prada, por exemplo, surgem em 10º e 11º lugares no ranking, respectivamente.

A lista foi feita com dados cruzados a partir de pesquisas feitas no Google. Também foi levada em conta uma análise de informações sobre o comportamento de mais de 70 milhões de consumidores do Lyst, com base em engajamento e vendas.

No fim das contas, a tendência street está aí para mostrar o quanto a moda é fluida e se adapta de acordo com as necessidades de cada grupo, geração ou momento. No tempo em que vivemos, tudo exige praticidade, agilidade e contato constante. O conforto é fundamental para a correria diária se harmonizar com a vontade de estar bem vestido – ou melhor, mostrar que está bem vestido.

O luxury sport funciona. A ostentação nem tanto.

 

Para outras dicas e novidades sobre o mundo da moda, não deixe de visitar o meu Instagram. Até a próxima!

Colaboraram Hebert Madeira e Rebeca Ligabue



 


modarankingFashion