MP questiona compra de quadro de Athos Bulcão para enfeitar gabinete da Terracap

Diretor jurídico da agência justificou a aquisição do item apontando a “ausência de qualquer item de decoração no local”

atualizado 18/06/2019 13:03

Divulgação

A solicitação de compra de um quadro de Athos Bulcão para decorar o gabinete do diretor jurídico da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Wesley Ricardo Bento, foi alvo de questionamento da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social (Prodep) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

O ofício solicitando mais informações sobre a aquisição, assinado pelo promotor Roberto Carlos Silva, foi enviado para o presidente da entidade, Gilberto Occhi, no dia 1º de junho.

Ao responder o questionamento do MP, o diretor jurídico da Terracap relatou que seu gabinete foi instalado de forma improvisada, em “espaço contíguo ao elevador privativo”, e que o mobiliário foi “colhido no estoque e em outros locais do edifício”. Após traçar o suposto cenário de penúria, ele justificou a compra do quadro.

“Considerando a ausência de qualquer item de decoração no local, o subscritor [Wesley Ricardo Bento] solicitou a aquisição de um quadro com réplicas de azulejos que compõem a obra de Athos Bulcão”, explicou o diretor jurídico.

A obtenção do objeto custaria R$ 2.842 aos cofres da instituição. Ao MP, Bento afirmou ter desistido do negócio ao se deparar com “procedimentos altamente burocráticos para se lograr a aquisição de item de tão pequeno valor”. O diretor jurídico afirmou, ainda, que acabou comprando o quadro com o próprio dinheiro.

A ausência de um gabinete estruturado e até decorado é parte do ônus de um cargo criado sob medida para abrigar Bento no governo. Até a gestão passada, não existia diretoria jurídica, mas sim procuradoria, um posto de segundo escalão na estrutura da Terracap. O bônus é o salário que pinga todo mês, o mais alto vencimento no organograma do Governo do Distrito Federal (GDF).

Últimas notícias