Casa Civil: Valdetário centraliza demandas de órgãos de controle

A medida é inédita e pode gerar questionamentos. O advogado assumiu comando da pasta em julho deste ano

Jacqueline Lisboa/Esp. MetrópolesJacqueline Lisboa/Esp. Metrópoles

atualizado 01/11/2019 14:57

Decreto publicado no Diário Oficial do DF nessa quinta-feira (31/10/2019) determina que todos os pedidos de explicações de órgãos de controle, como o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e Tribunal de Contas (TCDF), ao GDF sejam encaminhados à Casa Civil. As respostas também deverão passar pelo crivo da pasta a partir de agora, que vai poder opinar sobre o conteúdo dos textos.

Em situações em que a Casa Civil discordar de alguma explicação, a redação será alterada pela própria pasta. A medida de centralização é inédita e pode gerar questionamento dos próprios órgãos de controle.

A Casa Civil é comandada por Valdetário Monteiro, advogado e ex-presidente da OAB no Ceará. Ele assumiu a pasta em julho deste ano. Em seguida à posse, a mulher dele, Ana Karine Moreira, foi nomeada em cargo comissionado na Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), como assessora da presidência, segundo consta no Portal da Transparência.

Entre salário e benefícios, Ana Karine teve contracheque de R$ 14,2 mil no mês de setembro (último dado disponível). Além disso, foi indicada para representar o GDF como vogal (conselheira) na Junta Comercial do DF, por onde recebe complementação de R$ 1,3 mil.

A duplicidade de funções foi objeto de questionamento ao governo. Se o decreto que centraliza as informações em Valdetário já estivesse em vigor, estaria nas mãos dele o poder de elaborar resposta com as explicações que lhe fossem mais convenientes.

Veja o decreto publicado no DODF:

Reprodução/DODF

 

SOBRE OS AUTORES
Lilian Tahan

Dirige desde setembro de 2015 o site de notícias Metrópoles. É formada em comunicação social pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha. Antes do Metrópoles, trabalhou por 12 anos no Correio Braziliense e dois anos na revista Veja Brasília. Ao longo da carreira, conquistou prestigiados prêmios de jornalismo, como Esso, Embratel, CNT, CNI, AMB, MPT, Engenho.

Maria Eugênia

Formou em jornalismo pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub) em 1988. No Jornal de Brasília, chegou ao cargo de editora-chefe. Trabalhou também no Correio Braziliense, na Band News FM, e foi coordenadora-adjunta de Comunicação para a Copa do Mundo 2014, junto ao Governo do Distrito Federal (GDF).

Últimas notícias