*
 
 

Mais uma vez, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, esbanjou poder e simpatia na tradicional festa de fim de ano do escritório brasiliense. Regada a bons drinks, a celebração teve como atração principal a dupla Zezé Di Camargo e Luciano.

O anfitrião soltou a voz e agarrou o microfone de Luciano, arriscando-se em um dueto com Zezé Di Camargo. No auge de sua coragem, o advogado fez uma apresentação solo do clássico Evidências. Coube aos sertanejos assistir.

Confira:

Antes de começar o show, ao dar boas-vindas à plateia, Zezé arriscou uma piada. O cantor perguntou ao irmão se ele sabia que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) estava em peso na festa. Após a resposta surpresa de Luciano, ele emendou: “Você sabe que todo mundo tem que ter três amigos, né? Um médico, um advogado e um mecânico”. Ao explicar, disse que os dois primeiros são óbvios e o último é importante porque “você leva o carro com um problema e volta com 10”.

Não satisfeito, Zezé continuou: “Se bem que advogado é bom ter três. O terceiro vigia o segundo, e o segundo vigia o primeiro”. Ao perceber o constrangimento dos convidados, o sertanejo reconheceu que a brincadeira foi sem graça, mas disse que “não poderia perder a piada”. Após a saia justa, ele começou a fazer o que sabe: cantar.

A festa reuniu mais de 300 pessoas na Quadra 20 do Park Way. Embora em menor proporção do que em anos anteriores, a edição de 2018 da confraternização contou com a presença de ministros de tribunais superiores. Entre eles, Sebastião Reis, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O presidente eleito da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal (OAB-DF), Délio Lins e Silva Júnior, também marcou presença. Delinho, como é conhecido, contou com o apoio entusiasmado de Kakay ao longo da disputa eleitoral. Já o atual mandatário da entidade, Juliano Costa Couto, não foi à festa.

Advogado de defesa de nomes encrencados com a Operação Lava Jato, como José Sarney, Romero Jucá, Sérgio Machado, Alberto Youssef e André Esteves, Kakay convidou os associados a fazerem uma pausa dos embates nos tribunais.

O criminalista foi uma das principais vozes críticas à indicação de Sérgio Moro para o superministério de Justiça e Segurança Pública. Também já afirmou ter se recusado a defender o presidente eleito, Jair Bolsonaro.

O convite indicou o ânimo de Kakay para 2019. “Ainda há tempo para celebrar a vida, as amizades, as conquistas, e também alimentar as reflexões sobre os erros e sobre as batalhas que se avizinham, sempre na firme esperança de dias melhores para a preservação das liberdades em nosso país”, dizia o texto.

Não é a primeira vez que o advogado surpreende em comemorações. Em 2017, Kakay convidou 250 pessoas para seu aniversário de 60 anos. O local? O Palácio Xabregas, em Lisboa. “Eu acho que o Brasil está em um momento muito punitivo, em que ser feliz é dar um soco na cara dos outros”, afirmou na época.



 


Lava JatoEvidênciaszezé di camargo e lucianokakayAntônio Carlos de Almeida Castro