Dia do Combate ao Diabetes: pets também podem ter a doença

Assim como nos humanos, a doença não tem cura, mas existem tratamentos que podem proporcionar uma vida normal aos animais

atualizado 13/11/2019 15:44

Reprodução/Unsplash

Hoje (14/09/2019) é comemorado o Dia Mundial do Combate ao Diabetes e a data visa conscientizar as pessoas sobre prevenção e cuidados. Entretanto, a comunidade veterinária também aproveita para alertar os tutores que a doença é bastante comum em cães e gatos.

Assim como os humanos, os animais estão suscetíveis à doença. Os principais fatores de risco são a obesidade; excesso de gordura no sangue; o uso excessivo de medicamentos como os corticosteroides, que inibem a ação da insulina; e doenças hormonais como hipertireoidismo e hipotireoidismo.

De acordo com a médica veterinária da MSD Saúde Animal, Silvana Badra, a doença funciona nos pets de forma similar aos humanos. O organismo para ou produz uma quantidade muito baixa de insulina necessária. Sem o hormônio, a glicose se acumula no sangue.

“A doença não tem cura, mas existem maneiras de garantir uma vida normal ao pet. A insulinoterapia é uma boa opção e ela consiste na aplicação de insulina”, orienta.

Por isso é necessário que o tutor fique atento aos sintomas da doença, como excesso de urina, aumento de apetite e perda de peso. “Caso o tutor perceba esses sinais, é necessário levar o animal ao veterinário para ter um diagnóstico completo”.

“Para evitar que o animal sofra com a doença, é preciso cuidar da saúde dele, o que inclui atenção à medicina preventiva (vacinação, vermifugação, prevenção contra pulgas, carrapatos e insetos), proporcionar uma alimentação saudável, realizar exercícios e só administrar medicamentos sob recomendação do médico-veterinário”, alerta.

Últimas notícias