10 curiosidades incríveis sobre os cães da raça pinscher

Eles não são mini dobermans e são cheios de energia

Cachorro da raça pinscherReprodução/Petz

atualizado 20/03/2020 12:37

Não se deixe enganar pelo tamanho dos cães da raça pinscher. Mesmo pequenos, esses cãezinhos são bastante corajosos, possuem muita energia e são verdadeiros guardiões de seus tutores. Cachorro muito conhecido e apreciado pelos brasileiros, ele se encontra na 13º posição do ranking de raças mais populares do país, elaborado pela DogHero.

E pensando em toda popularidade desse cãozinho, o Metrópoles separou 10 curiosidades incríveis sobre a raça. Confira:

1 – Eles não são mini dobermans

Muitos acreditam que o pinscher é uma miniatura dos cães da raça doberman, mas na realidade, os pinschers surgiram muito antes apesar das semelhanças. A origem dos pinschers ainda não é certa, mas acredita-se que o cãozinho surgiu na Alemanha, onde se destacava pelo desempenho na caça de roedores.

2 – Min Pins

A raça era muito popular na Alemanha antes da Primeira Guerra Mundial, mas após o período ocorreu uma drástica redução de pinschers no país. No entanto, por sorte, alguns norte-americanos levaram a raça para os Estados Unidos. Lá ele ficou conhecido como Min Pins, apelido da raça.

3 – Ele não é silencioso

Se ter sossego e apreciar o silêncio é algo que o futuro tutor gosta de fazer, talvez o pinscher não seja a melhor opção. Os cãezinhos dessa raça têm o costume de latir com frequência logo ainda quando filhotes, pois estão sempre em alerta.

4 – “50% ódio e 50% tremedeira”

Apesar da má fama que os acompanha com frequência, os cãezinhos da raça pinscher são animais carinhosos e muito fiéis aos tutores. Mas o temperamento do pet vai depender do nível de treinamento e socialização no qual ele for submetido desde filhote. E a tremedeira do pinscher acontece por ser uma característica da raça ou causas físicas, como dor, frio, medo, felicidade ou problemas neurológicos.

5 – Marcaram presença nas artes

A popularidade do pinscher não é de hoje, esse pequeno cãozinho já fazia sucesso há mais de 300 anos atrás. Alguns historiadores encontraram pinturas do século 17 e 19 com cães semelhantes ao pinscher.

6 – Energia x irritabilidade

Os pinschers são animais com energia para dar e vender, logo, o tutor deve ter em mente que deve passear e brincar com o cãozinho diariamente. Geralmente eles possuem uma expectativa alta de interação com o tutor e quando não são correspondidos tendem a ficar desanimados e irritados.

7 – Não é muito bom com outros animais

Diferente do golden retriever, os cães da raça pinscher não têm uma interação muito positiva com outras raças ou animais, como os gatos. Então para que o tutor não tenha problemas de convivência entre os pets, a socialização do pinscher com outros animais deve ser feita quando ele ainda é filhote.

8 – Tamanho não é documento

Os pinschers possuem uma personalidade forte, logo, são muito destemidos e não têm medo de enfrentar animais maiores que ele. Por isso, o tutor deve estar bastante atento na hora dos passeios para que ele não inicie uma briga com outros cães.

9 – Cuidados com a higiene

O pinscher tem um pelo curto mas as escovações no pelo desse cãozinho devem ser diárias para evitar quedas. Além disso, os dentes do pinscher devem ser escovados para mantê-lo saudável e as unhas devem ser aparadas. Caso o tutor tenha dificuldade em realizar essas tarefas, deve procurar um médico veterinário para evitar que o animal fique machucado.

10 – São saudáveis

Mesmo com a tremedeira sendo uma característica marcante dos pinschers, os cãezinhos dessa raça são bastante saudáveis e podem viver até 15 anos. Entretanto, o tutor deve ter cuidado com a alimentação e físico do animal. Geralmente os pinschers apresentam luxação patelar devido ao tamanho.

Últimas notícias