*
 
 

Uma nova edição do leilão da Casa Amarela movimenta Brasília nesta semana. A leiloeira Silvia de Souza arrematará mais de 900 peças do acervo de Perez & Prado – do embaixador Ney Prado – e outros colecionadores entre esta quinta-feira e domingo (16/05/2019 a 19/05/2019), no foyer dos teatros do Brasil 21 Cultural.

“O embaixador tem um acervo gigantesco. Ele resolveu colocar tudo à venda e me deu carta branca, então é um leilão muito diversificado”, explicou Silvia, uma das leiloeiras mais conhecidas do país. A peça mais valiosa é a escultura Musa Inspiradora, de Victor Brecheret.

Antes de os objetos serem arrematados, o Metrópoles convidou Vandinha Riccioppo para selecionar as peças que, na sua opinião, se destacam no acervo. Entusiasta das artes e decoração de ambientes, Vandinha escolheu opções disponíveis com lances iniciais de R$ 250 a R$ 700 mil e dá a dica para quem vai ao leilão: “O segredo é garimpar e misturar harmonicamente”.

Em um leilão, a empresária costuma escolher o que faz o seu coração bater mais forte. “Eu adoro. As minhas escolhas vão desde uma cômoda do século XVIII a uma luminária pop dos anos 1960, e fico extasiada com os quadros do Di Cavalcanti”, revelou. “Eu gosto da mistura, do colorido”, completou.

Foto: Vinícius Santa Rosa

Circo, de Di Cavalcanti

 

A Casa Amarela nasceu em São Paulo e chegou em Brasília em 1994. O nome faz referência à casa onde o jornalista Assis Chateaubriand morava e na qual recebia todos os intelectuais da época. “É um nome para relembrar todo o movimento de arte que Chateaubriand fez”, recorda Silvia.

“O leilão não envolve apenas a compra. Às vezes, você tem um mundo cheio de conhecimento na sua casa, mas não dá tanto valor, e isso pode valer uma fortuna”, diz Silvia. “Brasília é uma cidade que reúne grandes colecionadores. Isso me deixa muito feliz”, finaliza

Até 2010, o leilão era realizado na Academia de Tênis de Brasília. No dia que um incêndio atingiu o local, todas as peças estavam presentes – mas, por sorte, nada foi perdido. Desde então, o leilão é realizado no Centro Cultural Brasil 21.

Confira as escolhas de Vandinha Riccioppo:

Foto: Vinícius Santa Rosa

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Escultura Musa Inspiradora, de Victor Brecheret

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Objeto de curiosidade: gaiola proveniente da Indonésia

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Silvia de Souza

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Escultura art déco

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Escultura de marfim japonês do período Meiji

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Vandinha Riccioppo

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Par de vasos de vidro em formato de flûte

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Marinha com barcos, de José Pancetti

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Peças que serão leiloadas no leilão da Casa Amarela

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Cômoda francesa do século XVIII

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Aparelho completo de porcelana

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Cômoda francesa de madeira nobre

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Bar acoplado em escrivaninha abbatant de madeira nobre encascado em raiz de nogueira

 

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Mesa bandeja vitoriana, com lance mínimo de R$ 260

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Peças que serão leiloadas no leilão da Casa Amarela

 

Par de luminárias de mesa de cerâmica húngara em forma cônica

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Rosto de criança em aquarela, de Milton da Costa

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Mulher rendeira, de Aldemir Martins

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Conjunto de colar e par de brincos Tiffany: cobblestone, de ouro branco 18k, diamantes e safiras

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Cômoda biedermeier encascada em pluma de mogno

 

Foto: Vinícius Santa Rosa

Centro de mesa de prata de lei

 

Leilão da Casa Amarela:
Dias 16 e 17 de maio, às 20h30; e 18 e 19 de maio, às 17h30, no foyer dos teatros do Brasil 21 Cultural.

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.



 


sociedadeleilãoobra de arteComplexo Cultural Brasil 21Vandinha Riccioppo