Grupo Elas Pedem Vista traz Gabriela Manssur para palestra em Brasília

A promotora de Justiça, especialista em violência contra a mulher, falou sobre decreto que flexibiliza a posse de armas e suas consequências

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 01/04/2019 19:48

Na última quarta-feira (27/3), Gabriela Manssur, promotora de Justiça de São Paulo, veio a Brasília a convite do grupo Elas Pedem Vista para uma palestra voltada para advogadas. Gabriela, que atua no combate à violência contra a mulher, expôs os riscos do decreto que flexibiliza a posse de armas.

A promotora é considerada um ícone no meio jurídico pelo seu trabalho incansável. Ela tem contato diário com casos de mulheres que sofrem agressão de seus companheiros e entende que o decreto cria uma situação de mais risco para as vítimas de violência.

“Dados indicam que muitos casos de feminicídio ocorrem dentro de casa. Hoje, muitas tentativas do crime são feitas com arma branca. Se o parceiro tivesse uma arma de fogo, não seria uma tentativa e sim um feminicídio consumado”, analisou a promotora.

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Gabriela Manssur

 

O bate-papo foi importante para as advogadas ouvirem as histórias reais que chegam até a promotora e terem real dimensão da complexidade dos casos de violência contra a mulher. As participantes da palestra ouviram atentas e se emocionaram ao conhecer algumas das situações presenciadas por Gabriela.

“É importante nunca deixar de falar sobre o assunto, independentemente de quem seja o ouvinte: mulheres na ponta da violência, cuja informação chega com muita dificuldade porque elas têm menos acesso à saúde, educação e sistema de Justiça, como também as que estão na outra ponta e as defendem”, contou Gabriela.

“Ela atrai outras mulheres para essa luta pela igualdade de gênero e nos mostra que é possível trilhar um caminho de defesa dos direitos das mulheres”, enfatizou a advogada Carol Caputo, uma das organizadoras do evento. “Gabriela nos inspira a continuar. É como se ela dissesse que estamos no caminho certo”, completou.

A promotora ressaltou que a violência de gênero não tem cor nem classe social. Todas as mulheres correm esse risco e elas precisam estar atentas aos sinais que seus companheiros dão durante o relacionamento e sempre denunciar. O caso de agressão contra a atriz Luiza Brunet, em 2016, deu coragem para que mulheres bem-sucedidas denunciassem seus agressores.

Gabriela enfatizou que os critérios para que o cidadão comprove efetiva necessidade de possuir arma em casa deveriam ser mais rígidos. “Um dos critérios é não ter antecedentes criminais e, infelizmente, muitas mulheres não denunciam seus maridos por medo da exposição negativa e de suas consequências”, lembrou.

Durante o bate-papo, Gabriela lembrou que quem combate ferozmente os crimes contra a mulher também sofre com o isolamento social. “A dor da violência também acaba atingindo, mesmo que indiretamente, essa mulher. Ela precisa de apoio, precisa falar e ser ouvida para ver que está no caminho certo. Quando você aborda o assunto em rodas de conversa, você percebe que não está sozinha”, disse.

Confira os cliques:

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Carol Caputo, Manuela Falcão, Flávia Guth, Gabriela Manssur, Cristina Neves, Bárbara Lobo e Júlia Baere

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Gabriela Manssur e Catarina Cecin Gazele

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Adriana Castro, Manuela Falcão, Elisa Almeida e Ana Carolina Assumpção

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Andréia Schroeder, Deborah Carvalhido e Lígia Paula Pires

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Marcela Passamani e Júlia Baere

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Érika Siqueira, Gabriela Marcondes e Dionne Felipe

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Mariana Rabelo e Paola Barbieri

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Flávia Guth, Mariana Kawa e Thaís Vidal

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Ana Flor e Suzana Mendes

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Beatriz Franco e Iasmin Gonçalves

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Eugênia Azevedo, Cinthia Saliba e Rachel Gerude

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Denise Baere e Felipe Baere

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Gislaine Silva e José Henrique

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Gabriela Manssur

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Carol Caputo

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Carol Caputo

 

Gabriela Manssur

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Bárbara Lobo, Cristina Lobo e Manuela Falcão

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Catarina Cecin Gazele

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Flávia Guth

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Carina Lellis, Camila Porfíro e Luísa Lacerda

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
João Marcos Braga, Ananda França e José Henrique Neves

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Mariana Kawa e Marie Polidorio

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Aline Osório e Ana Carolina Magalhães

 

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles
Gabriela Manssur

SOBRE O AUTOR
Bethânia Nunes

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário Iesb em 2014. Trabalhou na produção da TV Brasília e no Correio Braziliense por três anos, onde atuou como repórter no site do veículo. Desempenhou a função de assessora de imprensa no Grupo Objetiva até março de 2018. Atualmente, produz a coluna de Claudia Meireles.

Últimas notícias