Expo Liber trouxe debates sobre direito, literatura e jornalismo à UnB

Os pontos de convergência entre jornalismo, direito e literatura pautaram a primeira edição da Expo Liber, evento organizado pelo Projeto de Extensão Habeas Liber, da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB). A programação teve início às 9h deste sábado (05/10/2019) e contou com debates sobre temas como corrupção, justiça e cidadania, literatura e jornalismo. […]

Rafaela Felcciano/MetrópolesRafaela Felcciano/Metrópoles

atualizado 05/10/2019 15:10

Os pontos de convergência entre jornalismo, direito e literatura pautaram a primeira edição da Expo Liber, evento organizado pelo Projeto de Extensão Habeas Liber, da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB). A programação teve início às 9h deste sábado (05/10/2019) e contou com debates sobre temas como corrupção, justiça e cidadania, literatura e jornalismo.

O objetivo, segundo o juiz de 10ª Vara Federal em Brasília Vallisney de Souza Oliveira, um dos organizadores, é integrar os campos do direito às demais áreas de conhecimento em comemoração aos 31 anos da promulgação da Constituição Federal. “É o primeiro de muitos eventos como este. Queremos falar sem tecnicismo, aproximar o direito do mundo”, explicou.

Rafaela Felcciano/Metrópoles
Marcos Linhares na Expo Liber, realizada na faculdade de direito da UNB

Entre os palestrantes estiveram: Ryan Maia, jovem escritor brasileiro; o ex-procurador federal Judivan Vieira; o magistrado Márcio Barbosa Maia, da Justiça Federal do DF; e Marcos Mairton, magistrado em Fortaleza (CE) e juiz instrutor no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Magistrado, poeta, cearense e cordelista, Marcos Mairton acredita que jornalismo, direito e literatura se encontram em vários pontos. “São três visões da mesma sociedade. O direito atua regulando, a literatura retrata a sociedade de maneira mais lúdica, e o jornalismo narra os fatos. Os três, cumprindo o seu papel, contribuem para o funcionamento da coletividade.”

O juiz poeta é autor dos cordéis Uma Aventura na Amazônia, Cem Dúvidas de Português em Cordel, Zé Luando: o Homem que Virou Mulher, além de uma adaptação do conto A Cartomante, de Machado de Assis.

Além disso, o jornalista, escritor, presidente do Sindicato dos Escritores do DF e coordenador-geral da 32ª Feira do Livro, Marcos Linhares, falou sobre o seu livro “Não Existe Crime perfeito”, que narra alguns crimes famosos ocorridos no Distrito Federal.

SOBRE O AUTOR
Guilherme Waltenberg

Formado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), tem especialização em jornalismo digital e gestão de empresa de comunicação pela ISE Business School, instituição vinculada à Universidade de Navarra, na Espanha, onde fez intercâmbio. Foi pesquisador convidado da Columbia University, em Nova York. Trabalhou no Correio Braziliense, Jornal da Tarde, Estadão, entre outros veículos de notícias. Dirigiu o portal regional O Livre, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias