*
 
 

Em nosso dia a dia, estamos cercados de cristais. Grãos de sal ou açúcar e flocos de neve têm em comum a estrutura tridimensional e cristalina, também presente na maioria dos minerais encontrados na natureza. Mas, quando falamos em minerais, dependendo de seus usos possíveis e dos valores atribuídos a eles, chegamos aos elementos aos quais me refiro na coluna de hoje.

Sejam pedras comuns, preciosas ou semipreciosas, os cristais nos encantam com seus formatos, cores e rara beleza. Mas eles são muito mais que isso, e o que podem fazer por nós é sensacional: assim como tudo no universo, os cristais também possuem uma frequência vibracional e, por serem minerais, pertencem ao segundo plano de existência, abaixo de nós, seres humanos.

Cristais são a essência da vida manifestando-se nas camadas interiores da Terra. São o desabrochar da porção mineral do planeta e estão entre as estruturas físicas livres de padrões de resistência, pois possuem a frequência energética equilibrada, forte e incorruptível.

Os cristais eram usados e cultuados desde antigas civilizações. Pedras preciosas foram utilizadas na fundação de Nova Jerusalém e encontradas nas ruínas da Babilônia e nas tumbas dos governantes egípcios e chineses. Também são citados na Bíblia inúmeras vezes.

Reprodução

Segundo Jordan Duchnycz, praticamente toda a tecnologia moderna é baseada na estrutura viva dos cristais. A primeira transmissão radiofônica se deu por meio do quartzo, pois ele possui moléculas estáveis com frequências mensuráveis.

Marcel Vogel, inventor dos cristais líquidos e ganhador do Prêmio Nobel, descobriu que os cristais podem ser programados como chips de silício em computadores e que os últimos podem guardar memórias a partir da energia da consciência. Ele chegou a essa descoberta após concluir que os cristais podem ser programados a partir da energia do pensamento e por causa da composição do quartzo: silício e oxigênio – assim como a constituição da crosta do planeta Terra. É como se vivêssemos imersos em uma bola de cristal gigante.

Ainda, segundo Jordan, as energias dentro dos cristais são universais e, portanto, quando entramos em contato com o mineral e estamos conscientes e abertos ao que ele tem a oferecer, através do nosso eu superior, podemos sintetizar as energias das quais o universo é composto. Por serem tão poderosos, quando usados com a intenção correta, esses minerais podem nos ajudar a chegar a um lugar de amor e luz, e ainda nos auxiliarem a equilibrar todo o fluxo do nosso corpo e dos nossos chacras, além de elevar a nossa vibração.

É claro que a cura deve vir de dentro. Não é porque entramos em contato com cristais que iremos ficar radiantes ou seremos curados de alguma doença ou crença limitante. Mas acontece que eles podem servir como poderosas ferramentas para alcançarmos nossos objetivos.

Reprodução

 

Os cristais também necessitam de cuidados especiais e merecem ser reenergizados para poderem oferecer sua melhor versão. Aqui vão algumas dicas do Jordan:

– Os cristais podem ser energizados com a presença de outros cristais, maiores;

– Os raios solares também recarregam a energia dos cristais;

– Limpá-los com água e sal ajuda em sua reenergização. Dê preferência ao sal marinho ou rosa do Himalaia. Se morar perto do mar, lave-os em água salgada;

– Defume-os com sálvia;

– Deixá-los imersos no arroz, além de reenergizá-los, vai reequilibrar as energias feminina e masculina deles.

Assim que adquirimos ou ganhamos um novo cristal, é importante que dediquemos uns instantes a ele, segurando-o e projetando a intenção com a qual essa pedra será usada: somente para o bem maior, para o amor e a luz divina.

Uma dica interessante: encha um copo com água, coloque o cristal dentro e espere um dia. Durante essas horas, o copo pode ser exposto ao sol. Medite com o copo ao lado, depositando nele intenções de amor, luz e saúde. Depois, tome essa água. É uma maneira de se manter hidratado com uma água saudável, viva e energizada.

Os cristais podem ser usados para mudar a frequência de ambientes e são ótimos quando aliados à meditação: a dica é segurar um em cada mão.

Existem diversos tipos deles, e cada um é melhor aproveitado em uma situação diferente. Os que crescem numa base grande, chamada de matriz, e possuem os chamados “clusters” são excelentes para serem usados em ambientes como nossa casa ou trabalho. Os cristais redondos são poderosos, pois emitem o mesmo tipo de frequência para todos as direções, sendo excelentes para testar a clarividência. Os ovais são bons para meditação, e os pendulares, para ouvir a intuição.

Em relação ao tipo, dependerá sempre de uma pesquisa baseada na sua intenção. O citrino traz abundância e prosperidade, e está ligado aos signos de fogo, como Leão. O quartzo rosa traz a energia do amor incondicional, e o ônix bloqueia qualquer energia mais densa, afastando as más vibrações.

 

Para quem quiser saber mais sobre cada uma dessas pedras, acesse aqui.

Há muitas outras informações sobre esses minerais divinos. Basta pesquisar. Cristais e pedras preciosas são, por si sós, fascinantes, belos e poderosos.



 


energiaonixmineraisAutoconhecimentoCristaispoder de curaquartzo