Bolsonaro: “Raoni vive tomando champanhe e fala só pela aldeia dele”

Presidente afirmou em discurso na ONU que cacique foi cooptado e usado como peça de manobra por governos estrangeiros

atualizado 01/10/2019 14:11

Michael Melo/Metrópoles

Como fez em discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o mandatário do país, Jair Bolsonaro (PSL), voltou a criticar o líder indígena Raoni Metuktire, da etnia Caiapó. Ao falar para garimpeiros, na portaria do Palácio do Planalto, nesta terça-feira (01/10/2019), o presidente da República disse que a liderança indígena “vive tomando champanhe” e fala só pela aldeia dele.

“Raoni fala pela aldeia dele, fala como cidadão, não fala por todos os índios. É outro que vive tomando champanhe em outros países por aí, esse tal de Raoni”, frisou o chefe do Executivo federal.

Na semana passada, em discurso na ONU, Bolsonaro afirmou que Raoni havia sido “cooptado e usado como peça de manobra por governos estrangeiros na sua guerra informacional para avançar seus interesses na Amazônia”.

Raoni Metuktire reagiu às provocações e, no último domingo (29/09/2019), em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, disparou: “Bolsonaro é mentiroso. Ele é doido”.

Últimas notícias