Polícia encontra restos mortais em buscas por noivo de Gabby Petito

Os agentes enviaram um médico legista ao local e uma unidade canina usada para rastrear restos humanos

atualizado 21/10/2021 9:43

Gabby Petito e Brian LaundrieReprodução/ Instagram

A polícia encontrou restos mortais de um cadáver em uma área de mata de um parque na Flórida durante as buscas de Brian Laundrie, noivo da influencer Gabby Petito. O rapaz está desaparecido desde a morte da jovem. Ainda não há confirmação que o corpo seja dele.

“No início de hoje, os investigadores encontraram o que parecem ser restos humanos junto com itens pessoais, como uma mochila e um caderno, pertencentes a Brian Laundrie. Esses itens foram encontrados em uma área que até recentemente estava debaixo d’água”, disse o FBI à NBC News.

Segundo o advogado dos pais de Laundrie, Steve Bertolino, a polícia vai conduzir uma investigação mais completa da área. Após o comunicado do representante legal da família, os agentes enviaram um médico legista ao local e uma unidade canina usada para rastrear restos humanos.

Na semana passada, as autoridades concluíram que Petito foi estrangulada até a morte, de três a quatro semanas antes de seu corpo ser encontrado.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Segundo as autoridades, a perícia feita logo após a identificação do corpo já indicava que a jovem havia sido assassinada, o que foi comprovado por meio de relatórios de autópsia mais completos.

Gabby foi vista pela última vez em agosto, quando explorava o país a bordo de uma van com o namorado, Brian Laundrie, e registrava a viagem nas redes sociais. No começo de setembro, Brian voltou para casa na van, mas sem Gabby.

Os pais de Petito registraram o desaparecimento da influencer no dia 11 de setembro, mais de uma semana após o retorno de Brian à casa dos pais. No dia 14, o rapaz desapareceu e tem sido procurado para prestar depoimento à polícia local. O corpo da jovem foi encontrado no dia 19.

Brian ainda não foi acusado formalmente pela morte da influencer, mas foi indiciado em 23 de setembro porque teria usado o cartão de débito pessoal da jovem após seu desaparecimento, o que é ilegal.

Mais lidas
Últimas notícias