Mion se revolta com humoristas após piada com autistas do DF

Em vídeos nos Stories, o apresentador comentou sobre a revolta que sentiu ao ver a dupla fazendo piada com a banda Timeout, de Brasília

atualizado 11/04/2020 11:02

Marcos Mion gesticulandoReprodução/Instagram

O apresentador Marcos Mion foi às redes sociais indignado com a atitude da dupla de humoristas Dihh Lopes e Abner Henrique, que fez piada com uma banda de meninos autistas de Brasília, e também com outros tipos de deficiência.

Nos Stories, nesta sexta-feira (10/4), Mion, que tem um filho autista, o Romeu, conta que chegou a gravar três vídeos diferentes e os apagou porque ficou com muita raiva da situação.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

“Esses dois pegaram no nervo, foram a escória da humanidade. Qualquer pai, qualquer mãe que já viu um deficiente, que conviveu ou que tem na família, se você tem empatia, vai concordar comigo”, comentou o artista.

Mion ressalta que fez as declarações depois de ser cobrado pelos seguidores a se posicionar e diz que sentiu o golpe e que está com muita raiva. “É revoltante. Dois comediantes num show fazendo piadas com autismo, síndrome de Down, paratletas e, pasmem, crianças que batalham contra o câncer”.

A banda criticada pelos humoristas é a Timeout, criada em 2017 e formada por Ivan Madeira, Thiago Carneiro, Matheus Winkler e João Gabriel Mello. Eles começaram a tocar com a ajuda do psicólogo Paolo Rietveld, que oferece atendimento clínico voluntário para autistas.

Ao Metrópoles, a banda diz que ficou triste com o vídeo, mas que decidiu apenas pedir para que as pessoas não o divulgue e acabem dando popularidade aos autores.

“Ficamos muito felizes em saber que famílias de vários coletivos de autismo e neurodiversidades também pensam como a gente e, ao invés de compartilhar o que aconteceu, vieram aqui bombar, curtir e compartilhar a página da Timeout”, esclareceu em um post no Instagram.

View this post on Instagram

O apresentador Marcos Mion foi às redes sociais indignado com a atitude da dupla de humoristas Dihh Lopes e Abner Henrique, que fez piada com uma banda de meninos autistas de Brasília, e também com outros tipos de deficiência. . Nos Stories, nesta sexta-feira (10/4), Mion conta que chegou a gravar três vídeos diferentes e os apagou porque ficou com muita raiva da situação. . "Esses dois pegaram no nervo, foram a escória da humanidade. Qualquer pai, qualquer mãe que já viu um deficiente, que conviveu ou que tem na família, se você tem empatia você vai concordar comigo", comentou o artista. . Mion ressalta que fez as declarações depois de ser cobrado pelos seguidores a se posicionar e diz que sentiu o golpe e que está com muita raiva. "É revoltante. Dois comediantes num show fazendo piadas com autismo, síndrome de Down, paratleta e, pasmem, crianças que batalham contra o câncer". . A banda criticada pelos humoristas é a Timeout, criada em 2017 e formada por Ivan Madeira, João Daniel Simões, João Gabriel Mello, João Henrique Lopes, Marcelo Bacelar, Matheus Winkler e Thiago Carneiro. Eles começaram a tocar com a ajuda do psicólogo Paolo Rietveld, que oferece atendimento clínico voluntário para autistas. . #Autismo #MarcosMion #Timeout #Revolta #Humoristas

A post shared by Metrópoles (@metropolesdf) on

“Piadas para família”

O vídeo teria sido gravado em novembro do ano passado, mas viralizou nas redes sociais de pais e mães de crianças com autismo nesta semana. Intitulado “Piadas para família – 1ª temporada”, o vídeo mostra os humoristas Dihh Lopes e Abner Henrique durante um show feito em Campo Grande (MS).

“Em Brasília, estava ganhando destaque uma banda de rock que era formada apenas por integrantes autistas. Pensei: Vou ver né, é uma novidade, não tem muita banda paralímpica. Tinha um videozinho com a música deles. Antes de clicar no vídeo, eu pensei: será que eu consigo assistir sem dar risada? E a resposta é não. Eu tentei, mas não deu”, disse Abner em meio às risadas da plateia.

Nos canais do YouTube de Dihh Lopes e Abner Henrique não constam mais o vídeo da apresentação. Desde a publicação das imagens, os dois também nunca se manifestaram sobre o assunto.

View this post on Instagram

Compreendo a figura do comediante e que as piadas não expressam a opinião dos atores, todavia discriminar pessoa com deficiência, incluindo-se o autista, é crime previsto na Lei 13.146/2015 em seu artigo 88, bem como fere a convenção sobre os direitos da pessoa com deficiência, ratificada pelo Brasil com status de Emenda Constitucional. Outrossim, o abuso do ato lícito se equipara a ato ilícito conforme o código civil De rigor o @mpsp_oficial e o @mpf_oficial tutelar essa coletividade autista nacional com investigação severa e até ações civil e penal competentes. A seguir o vídeo completo dos comediantes: https://youtu.be/nkkxwGFfdq8 #autismobrasil #autistas #autismo #pcds #pcd #pessoascomdeficiência #pessoacomdeficiência #terapiaocupacional #fisioterapia #fonoaudiologia #psicopedagogia #psicomotricidade #psicologia #neurologia #psiquiatria #idoso #lagartavirapupa #revistaautismo #lucelmolacerda #síndromededown #doençasraras #marcelovalio #direito #isabellacamargo #burnout #doençaspsicológicas #crime

A post shared by Prof. Marcelo Válio (@profmarcelovalio) on

Mais lidas
Últimas notícias