Não durma no volante: dicas para reduzir fadiga e sono ao dirigir

Observatório Nacional de Segurança Viária estima que até 50% dos acidentes podem ser causados por esses dois fatores no Brasil

atualizado 03/02/2020 16:11

Reprodução

Dirigir cansado é tão perigoso na condução quanto andar alcoolizado. Uma pesquisa mostra que conhecer os sintomas e saber como combater esse fator é algo fundamental no trânsito para prevenir acidentes.

Estudos da britânica Royal Society for The Prevention of Accidents mostram que a fadiga e o sono são responsáveis por 20% dos acidentes nas estradas europeias. No Brasil, o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) estima que até 50% dos acidentes podem ser causados por estes dois fatores.

O que provoca o sono vai muito além de poucas horas de sono. Há também excesso de trabalho físico ou intelectual, refeições pesadas, estresse, doença ou uso de medicamentos, muitas horas de condução e monotonia, posição de dirigir desconfortável, temperaturas extremas (calor ou frio), interior pouco arejado, deficiências visuais (que forçam a vista) e dirigir à noite sem o devido preparo.

Sintomas e efeitos

Quem tem pressa de chegar costuma ignorar sinais evidentes de sono, como bocejos frequentes, meneadas de cabeça, dificuldade de concentração, olhos pesados e as famosas “pescadas”, com a consequente dificuldade de mantê-los abertos e focados. Ficar subitamente mal humorado, com cãibras e entorpecimentos de pernas e braços, impaciente e com reações lentas também mostra que é hora de descansar.

Motorista cansado se nota de longe. Em geral, a conduta se parece com a de um bêbado, mudando subitamente de faixa e tendo dificuldades para se manter em linha reta.

Também não conseguem ver bem as placas de trânsito e demoram mais a reagir a coisas inusitadas, como alguém que freie bruscamente ou um cachorro que atravesse a pista. Por fim, existe grande possibilidade de perder o controle do veículo e bater, causando a própria morte ou a de terceiros.

Dicas para evitar a fadiga:

1. Pode parecer óbvio, mas o melhor é sempre dirigir como Jaiminho, o carteiro do programa Chaves: bem descansado. Para isso, evite dirigir à noite, especialmente entre as 2h e as 6h da manhã. Durma bem antes de pegar o carro.

2. Outro fator importante é nunca colocar um horário para a chegada. Isso provoca nervosismo, cansaço e pode levá-lo a querer superar limites intransponíveis. Afinal, o sono sempre vence.

3. Comer uma feijoada antes de dirigir também prejudica. Digestão lenta provoca sonolência.

4. Encontre a posição mais confortável possível para conduzir o carro. Lembre-se de que esforços desnecessários, ou posições incômodas, cansam um bocado.

5. Se estiver dirigindo há mais de duas horas, dê uma paradinha para um café, um “xixi-stop” ou só para esticar as pernas e fazer o sangue circular como devia.

6. Procure manter o carro bem ventilado. Cabine fechada, sem ar renovado, dá sono.

7. Se o sono bater, pare imediatamente. Em local seguro, estacione e tire uma soneca. Meia hora costuma resolver. Outra opção é se hospedar em algum lugar ou deixar outra pessoa dirigir, se isso for possível.

8. Nunca ingira remédios que afetem o estado de atenção. Alguns provocam enjoo ou sonolência. Nestes casos, evite-os. Se tiver de tomá-los, simplesmente abra mão de dirigir e pegue algum tipo de transporte que o atenda (ônibus, táxi ou Uber).

9. Em viagens a locais com balsas, aproveite o trajeto distante do volante para descansar.

Últimas notícias