Lamborghini submersa de R$ 1,6 milhão tem salvação. Entenda

Projetista que tomava conta da máquina para reality show ainda não sabe quanto custará o conserto

atualizado 14/02/2020 20:08

Reprodução

Lamborghini Huracán, avaliada em R$ 1,6 milhão, que ficou debaixo d’água em um estacionamento em São Paulo, será recuperada. O carro não conta com seguro e participa de um projeto para um reality show. Ele seria transformado dos atuais 610 cavalos para 1.500 cavalos.

“Não vai ser barato, mas vamos recuperar”, afirmou Fernando “Mutant” Santos ao G1, mas não revelou quanto custará para arrumar os danos do modelo. Fernando levou o carro para casa antes de começar a gravar uma série de vídeos sobre a transformação da máquina.

A recuperação não foi detalhada. Fernando sabe que o trabalho vai ser grande e muito dinheiro será investido, uma vez que o carro ficou quase totalmente submerso. Pelo menos, segundo ele, o motor V10 5.2 litros não sofreu nenhum tipo de dano.

O veículo não é do projetista: foi doado por um anônimo para o projeto. E era a primeira vez que Fernando o tinha levado para casa, em um condomínio na Vila Leopoldina. Ele disse ao G1 que desmaiou ao ver a situação.

“Eu desmaiei na hora, fiquei em estado de choque e meus vizinhos me seguraram”, relembrou. “Foi a pior manhã da minha vida. Parecia cena de filme de terror, não desejo isso para ninguém. Foi desesperador, trágico, o caos”, disse.

 

0

Fernando afirmou ter ficado sem dormir durante dois dias desde que soube da situação, mas que a tragédia estava na perda de muitas vidas na cidade por causa da chuva. “Bem material a gente trabalha, conquista, dá nossos ‘pulos’ para resolver, mas teve gente que perdeu vida.”

O modelo superesportivo estava envolvido em um projeto que iria produzir uma série de vídeos mostrando a preparação da Lamborghini. A expectativa era de promover mudanças no motor, conjunto mecânico e na aerodinâmica, além de fazer o carro passar de 610 para 1.500 cavalos.

Várias imagens do carro viralizaram nas redes sociais, mostrando a garagem onde ele estava e outros veículos que também ficaram debaixo d’água, como um Porsche 911 (veja vídeos abaixo).

Chuva histórica

A cidade de São Paulo registrou, entre a tarde de domingo (09/02/2020) e a manhã da última segunda- feira (10/02/2020), o segundo maior volume de chuva em 24 horas no mês de fevereiro, desde que o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) passou a registrar a milimetragem de precipitação, em 1943.

O recorde contabilizado pelo instituto aconteceu em 2 de fevereiro de 1983, quando choveu 121,8 mm. Nesse fim de semana, das 9h de domingo às 9h dessa segunda-feira, a capital paulista teve 114 mm de precipitação.

O grande volume de água gerou caos na cidade. A Prefeitura de São Paulo decretou estado de calamidade pública e pediu ajuda ao governo estadual.

Últimas notícias