*
 

Um novo episódio de vandalismo em vagões do Metrô-DF causou prejuízo e atraso na volta para casa de quem curtia o Carnaval na capital, na noite desse sábado (10/2). Superlotado pelo grande volume de passageiros que entraram na Estação Central de Brasília, o sistema teve portas e lâmpadas danificadas. Sete trens foram retirados de circulação. Para a noite deste domingo (11), a Companhia do Metropolitano pediu o reforço da Polícia Militar e estudará, de acordo com a demanda, a necessidade de colocar mais carros para circular.

A confusão e a retenção de passageiros, segundo a assessoria do Metrô, ocorreu porque usuários do serviço acionaram os botões de emergência, o que parou todas as composições. Por esse motivo, ainda de acordo com a companhia, a venda de bilhetes foi suspensa por cinco minutos.

De acordo com a assessoria, sempre que ocorre esse tipo de ato, todas as composições são paralisadas por questão de segurança, pois os trilhos, os quais recebem 730 volts de carga, precisam ser vistoriados para garantir a ausência de pessoas sobre eles.

“É importante destacar os prejuízos e os riscos à segurança que atos de vandalismo causam. Parar o trem indevidamente põe em risco a segurança de todos os passageiros. Com o sistema parado, ocorre o acúmulo de usuários nas estações, e a empresa tem de fazer o controle de fluxo para evitar problemas”, declara o Metrô-DF, em nota.

Ao todo sete trens tiveram algum tipo de dano. Um deles teve quatro janelas quebradas, outro o uso indevido dos extintores. Em todos houve o acionamento do botão de emergência. Não há informações sobre detidos.

Violência
No dia 3 de janeiro, um rapaz foi agredido dentro de um dos vagões do Metrô de Brasília. De acordo com a assessoria de imprensa da companhia, o homem teria dado em cima de uma mulher e foi espancado pelo namorado dela e outros indivíduos.