*
 

O primeiro dia oficial do Carnaval reuniu, pelo menos, 22 mil foliões na ruas de Brasília. Blocos tradicionais e alternativos movimentaram o público – que, para não perder a vibe, vestiu fantasias e dançou frevo, samba, pop, rock e funk.

Um dos mais tradicionais blocos da capital, o Galinho de Brasília reuniu 10 mil foliões (segundo a Polícia Militar), que, no melhor espírito pernambucano, se jogaram no frevo. Sem nenhuma ocorrência grave, o Galinho saiu do Setor de Autarquias Sul e fez percurso pelas quadras CLS 202/402, CLS 203/403, CLS 203/204, CLS 201/202 e pelo Eixinho L, antes de retornar ao ponto de partida.

“Moramos em Brasília tem 12 anos, mas é a primeira vez que passamos o Carnaval aqui. Estou achando tudo bem tranquilo, e a família está curtindo bastante”, contou a servidora pública Fabiana Bordoni, 42 anos.

Confira fotos do Galinho de Brasília:

Na Funarte, a junção dos bloquinhos LGBTIs Essa Boquinha Eu Já Beijei + Tuthankasmona reuniu 10 mil pessoas, de acordo com a PM. Ao som de funk, pop e axé, os foliões curtiram o Carnaval em clima de respeito, azaração e muita diversão. As fantasias foram um charme à parte.

Os estudantes Nauan Spindola, 23 anos, e Natasha Morato, 21, aprovaram o evento. “Sempre viajo no Carnaval, e é a primeira vez que fico em Brasília. Estou impressionada positivamente”, diz Natasha. A fotógrafa Carolina Valença, 24, passou a festa com os amigos. “Nós temos um grupo que chamamos de Casa 22. Todo ano escolhemos um tema. Ano passado viemos de Ursinhos Carinhosos e, agora, estamos de líderes de torcida. Amamos o Carnaval de Brasília”.

Veja fotos do Essa Boquinha Eu Já Beijei + Tuthankasmona:

Outros blocos menores reuniram animados brasilienses. No Setor Comercial Sul, rolou o batuque do Patubatê, com samba, frevo, maracatu e marchinhas. Pela manhã, o Café com Samba, sob comando da bateria Sapeka-Aí, animou a praça de alimentação da Torre de TV. Na Asa Norte, 2 mil pessoas desfilaram no Concentra Mas Não Sai.