Zema decreta luto oficial de três dias em MG por vítimas de Capitólio

Zema já havia comentado a tragédia, dizendo que as vítimas do desabamento da rocha deveriam ser indenizadas

atualizado 10/01/2022 10:24

ZemaGil Leonardi/Imprensa MG

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, declarou luto oficial de três dias no estado em razão das 10 vítimas mortas em um desabamento de uma rocha de mais de 25 metros nos cânios de Capitólio.

“O governador Romeu Zema assinou decreto de luto oficial de três dias em todo o estado de Minas Gerais, em sinal de pesar às vítimas da tragédia em Capitólio e em respeito aos mineiros afetados pelas fortes chuvas dos últimos dias”, afirmou a página do governo de Minas Gerais, no Twitter.

Zema já havia comentado sobre a tragédia, dizendo que as vítimas do desabamento teriam que ser indenizadas, mas evitou dizer quem pagaria os valores citados.

“É uma área de visitação pública. Vamos dizer que é como se, no Rio de Janeiro, rolasse uma pedra do Pão de Açúcar e atingisse alguém. Neste caso, estamos falando de uma área sob jurisdição da Marinha, talvez. É algo que teremos que analisar. Essas vítimas com certeza têm direito a alguma reparação, mas o responsável não tenho condição de responder agora. Não sei se é uma propriedade privada ou da empresa Furnas. Então, há uma série de interrogações ainda a responder”, afirmou Zema em entrevista à CNN Brasil.

Entenda

Um paraíso turístico mineiro foi cenário de uma tragédia por volta do meio-dia de sábado (8/1), quando um enorme bloco rochoso se desprendeu de um cânion no Lago de Furnas, atingiu lanchas turísticas e matou, instantaneamente, 10 pessoas.

Até a noite de sábado, os bombeiros de Minas Gerais divulgaram que ainda havia três pessoas desaparecidas, que foram encontradas nesse domingo (9/1). Dezenas de feridos foram atendidos em hospitais da região, alguns com fraturas expostas e lesões graves na cabeça.

O lago da represa da Usina Hidrelétrica de Furnas é enorme. Com 1.440 km², é o maior do estado e banha mais de 30 municípios. Capitólio, a pouco menos de 300 km de Belo Horizonte, abriga a maioria dos turistas, justamente pela beleza das cachoeiras e dos paredões de rocha que o local dispõe. A fama explica a quantidade de lanchas no local do acidente.

As vítimas já identificadas pelos militares são oito. As análises foram feiras por meio da análise de impressões digitais:

  • Júlio Borges Antunes, de 68 anos, natural de Alpinópolis (MG);
  • Camila Silva Machado, de 18 anos, de Paulínia (SP);
  • Mykon Douglas de Osti, de 24 anos, de Campinas (SP);
  • Sebastião Teixeira da Silva, de 64 anos, de Anhumas (SP);
  • Marlene Augusta Teixeira da Silva, de 57 anos, de Itaú de Minas (MG).
  • Geovany Teixeira da Silva, de 37 anos;
  • Geovany Gabriel Oliveira da Silva, 14 anos e
  • Thiago Teixeira da Silva Nascimento, 35 anos
0

De acordo com a Polícia Civil mineira, três das vítimas já foram liberadas e duas aguardam serem retiradas do Posto Médico-Legal (PML) de Passos (MG) pelos familiares.

Veja o momento do deslizamento do enorme pedaço de rocha:

Mais lidas
Últimas notícias