“Vou provar minha inocência”, diz mãe acusada por morte de Henry

Monique Medeiros alega que não sabia de agressões e aponta o ex-vereador Jairinho como único responsável por morte de criança de 4 anos

atualizado 05/07/2021 18:53

MoniqueReprodução/TV Globo

Presa desde abril, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva acusa o ex-companheiro, o médico e ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, pela morte do filho, o menino Henry Borel, 4 anos.

Em entrevista exclusiva ao jornal O Globo, Monique disse que vai provar a inocência e que não sabia das agressões do ex-namorado contra o menino. O casal é réu por crimes de tortura e homicídio triplamente qualificado contra a criança.

Monique afirmou ainda se arrepender de ter colocado alguém dentro de sua casa sem prever que ele poderia fazer algum tipo de mal. “O que sinto é que minha vida foi completamente destruída — não só a liberdade, mas perdi também meu bem maior, o meu amor, o meu filho.”

Ela argumentou que, no primeiro momento, corroborou com o depoimento de Jairinho porque achou que o menino tinha sofrido um acidente doméstico, que não imaginava o que poderia ter acontecido.

“Infelizmente, o Henry precisou morrer para que todas essas torturas fossem reveladas e que as mulheres tivessem coragem de denunciar. Agora, eu acredito que a Justiça vai ser feita e que eu vou conseguir provar a minha inocência”, disse ela.

O ex-parlamentar também responde por tortura contra duas crianças, filhas de ex-namoradas.

Nesta segunda-feira (5/7), a defesa do médico e ex-vereador tentou desqualificar Monique e a classificou como uma mulher ambiciosa e vaidosa, que inventou mentiras sobre o ex-namorado.

 

Últimas notícias