Vídeo: homem diz que incendiou viaduto ao tentar pegar pedra de crack

Homem, de 41 anos, é morador de rua e dependente químico. Segundo ele, tentava pegar pedra de crack quando causou incêndio

atualizado 15/07/2022 19:35

goias suspeito de incendiar viaduto Reprodução/Fred Silveira/Record TV

Goiânia – Foi preso na tarde desta sexta-feira (15/7), o suspeito de incendiar um dos principais viadutos da capital goiana. O homem, de 41 anos, é morador de rua e dependente químico, conforme a polícia. Ele não teve o nome revelado. Ao chegar à Delegacia de Investigações Criminais (Deic), ele disse que tentava pegar uma pedra de crack, quando deu início ao fogo.

“Se o crack fosse liberado eu não tinha colocado fogo lá. O meu crack caiu lá dentro, senhor, eu fui pegar meu crack. Aí eu risquei o papelão e o papelão caiu lá dentro. Não foi porque eu quis”, disse ele à imprensa que estava no local.

O jornalista Fred Silveira, do site Goiás Capital, registrou o momento da chegada na delegacia e a fala do suspeito.

Veja o vídeo:

 

Enquanto era levado pelos investigadores em direção ao interior da Deic, o suspeito continuou se justificando. “Se o crack fosse liberado eu ia lá e comprava igual o povo compra cerveja”, disse, repetindo mais ou menos a mesma coisa nos segundos seguintes.

No final, ele completa: “Se o crack fosse liberado, muitos ‘noiado não matava e roubava’ por causa do crack”.

A suspeita é que o papelão aceso usado pelo suspeito para tentar pegar o crack tenha caído entre a estrutura metálica de revestimento e o concreto, entrando em contato com alguma substância inflamável e dando início ao incêndio. Mas somente a perícia, que deve ficar pronta em dez dias, poderá indicar com mais clareza o que ocorreu.

Dificuldade de locomoção

O viaduto João Alves de Queiroz, que fica no cruzamento das Avenidas 85 e T-63, no alto do Setor Bueno, um dos pontos mais movimentados da cidade, começou a pegar fogo durante a madrugada, por volta das 5h.

Durante coletiva de imprensa, o titular da Deic, Alécio Moreira, disse que uma dificuldade física de locomoção do suspeito foi o que ajudou a Polícia Civil a identificá-lo.

De acordo com o investigador, após o incêndio, policiais iniciaram uma série de buscas nas imediações do viaduto, a fim de conseguir imagens de como o incêndio se iniciou. Durante a análises dos vídeos, a corporação identificou o suspeito e observou que ele arrastava a perna ao andar. Com isso, a polícia conseguiu localizar o homem.

O suspeito estava em uma casa, situada no Setor Serrinha, próximo ao viaduto incendiado, quando foi preso. “A alegação dele é que caiu uma pedra de crack dentro daquelas formas de placas de metal. Como estava escuro, ele tentou, mas não conseguia pegar. Ele colocou fogo em um pedaço de papelão, para iluminar, mas o papelão teria caído dentro deste vão, deste buraco, sem querer. Ele também narrou que dentro do buraco haviam colchões e bebidas”, afirma o delegado.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
Publicidade do parceiro Metrópoles 8
Publicidade do parceiro Metrópoles 9
Publicidade do parceiro Metrópoles 10
0

Passagens

O suspeito possui antecedentes criminais por uso de drogas, desacato e roubo à mão armada. “Ele não nos detalhou ainda como sobrevive, nem como compra essas pedras de crack. Nós imaginamos que ele não tenha um meio lícito para isso. O encontramos em um quartinho, parece que ele paga um aluguel, mas como ele mesmo diz, ele vive para pagar o crack”, disse Moreira.

O homem será autuado em flagrante por incêndio qualificado, por causar dano a um bem público. O investigador considera que ele tinha consciência do risco de chamas. Ele deverá permanecer preso.

Fogo na estrutura

O incêndio atingiu boa parte da dimensão do viaduto. Não houve feridos, mas o local ficou visivelmente destruído. O superintendente adjunto da Polícia Científica, Ricardo Matos, explicou ao Metrópoles, que um dos trabalhos da perícia será o de detectar onde começaram as chamas.

O trânsito na região ficou interditado durante a manhã desta sexta-feira. No entanto, não houve a necessidade de se criar desvios, pois os veículos passam pelo anel interno do viaduto, que está com o trânsito livre, segundo a Secretaria Municipal de Trânsito (SMT). Uma limpeza no viaduto deve ocorrer até esse domingo, segundo a Defesa Civil.

Limpeza e estrutura

Avaliações preliminares da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) dão conta de que a estrutura do viaduto não foi afetada e placas destruídas pelo incêndio serão substituídas por obras de arte urbana.

Coordenador da Defesa Civil Robledo Mendonça disse que ainda será feita uma análise minuciosa da estrutura que deve ficar pronta na segunda-feira (18/7). São verificadas possíveis rachaduras e a firmeza das placas que revestem o viaduto.

Mais lidas
Últimas notícias