Vídeo: de surpresa, Bolsonaro caminha até a Câmara para sessão solene

Carlos Alberto de Nóbrega foi homenageado, ação proposta Alexandre Frota (PSL-SP). Mais cedo, presidente se reuniu com a bancada do Novo

atualizado 29/05/2019 12:44

Reprodução/TV Câmara

Após tomar um café da manhã com parlamentares da bancada do Novo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) caminhou até a Câmara, onde participou de uma solenidade em homenagem ao humorista Carlos Alberto de Nóbrega, na manhã desta quarta-feira (29/05/2019).

O presidente estava acompanhado do chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A ida à Câmara não estava prevista na agenda do presidente e pegou todos de surpresa, inclusive Alexandre Frota (PSL-SP), que presidia a mesa durante a sessão até a chegada de Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Veja o momento em que Bolsonaro caminha do Planalto à Câmara:

Após as falas de Onyx Lorenzoni e do ministro da Cidadania, Osmar Terra, Bolsonaro prestou uma homenagem ao humorista e se retirou do Plenário. “Uma pessoa muito mais especial do que nós dois”, disse o presidente, ao lado de Maia, em referência a Carlos Alberto. Por fim, o chefe do Executivo agradeceu a iniciativa de Frota. “Sem humor e alegria, não se tem razão de viver”, finalizou Bolsonaro.

Questionado sobre a decisão de Bolsonaro ter “desregulado” a agenda presidencial, Onyx não viu problema algum na iniciativa do chefe do Executivo e disse que foi apenas “um gesto de carinho e de respeito à própria arte”.

“Ele tomou uma decisão de homenagear o Carlos Alberto de Nóbrega. Então, ele veio para cá porque apoia desde a época do pai do Carlos Alberto, o Manuel da Nóbrega. Vir até aqui, acho que foi um gesto de sensibilidade do presidente, de carinho, de respeito ao artista e de respeito à arte”, disse.

Articulação
A agenda de Bolsonaro desta quarta-feira (29/05/2019) está marcada por encontros para articulação política, como forma de amenizar os desentendimentos entre os Poderes Executivo e Legislativo.

Além do café da manhã com a bancada do Novo, Bolsonaro convocou parlamentares do PSL para um almoço a fim de acertar os trâmites pelo Congresso e conseguir aprovar as reformas em andamento, como a administrativa, a fiscal e a previdenciária, sem grandes perdas ao governo.

Nessa terça-feira (29/05/2019), após uma reunião emergencial com o líder no Senado, Major Olímpio (PSL-SP), o governo se viu obrigado a desistir de assuntos que eram preferenciais devido ao curto prazo para aprovar medidas importantes, como a chamada MP dos Ministérios. Porém, desta vez, a bancada do partido do presidente poderá arredondar uma nova forma de diálogo com o Parlamento a fim de diminuir as derrotas no Congresso.

A reforma da Previdência, por exemplo, corre o risco de ser aprovada com grandes modificações no texto apresentado pela Presidência. Ela segue em audiência pública até quinta-feira (30/05/2019) e voltará para a comissão mista. Apesar de o relator já ter afirmado que apresentará o documento no dia 15 de junho, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu para adiantar os trâmites para finalizar com maior rapidez o processo.

Além disso, o Executivo precisa melhorar a imagem com o Parlamento, que colocou o governo na parede por duas vezes em apenas cinco meses. A primeira foi convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, devido aos cortes na Educação. Nessa terça, foi a vez do chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ser convocado para dar explicações sobre o decreto das armas.

Mais lidas
Últimas notícias