Vice ficou abalado após Doria avisar que seguiria no governo de SP

João Doria se reuniu na tarde de quarta (30/03) com Rodrigo Garcia para comunicar que não deixaria mais governo para concorrer ao Planalto

atualizado 31/03/2022 11:44

governador doria durante coletiva e desobriga máscaras em sãp paulo SPFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), avisou em uma reunião privada, a sós, ao vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB), que não iria mais renunciar ao cargo para disputar o Palácio do Planalto.

A conversa com Garcia começou por volta das 17h30 dessa quarta-feira (30/03). O vice-governador foi pego totalmente de surpresa pela decisão e deixou a reunião abalado, segundo relato de uma fonte do  governo.

Foi só o começo de uma noite de articulações que podem alterar o rumo das eleições até o próximo sábado (02/04), fim da janela para filiação e mudança de partidos.

Depois do anúncio de sua decisão, Doria tinha uma conversa com o secretário estadual da Fazenda, Henrique Meirelles, que desistiu de concorrer ao Senado em Goiás pelo PSD e vinha sendo cogitado como o candidato a vice-governador de Garcia.

0

De acordo com outras duas fontes do governo ouvidas pelo Metrópoles, o clima na equipe era de despedida nessa quarta (30/3). Todos esperavam com tranquilidade pela transição para Garcia nesta quinta, conforme o planejado.

Nos últimos dias, o desconforto de Doria com a situação dentro do PSDB se acentuou após o movimento de líderes tucanos, em especial o deputado federal Aécio Neves (PSDB), para transformar o ex-governador Eduardo Leite (PSDB) no candidato da sigla à presidência da República – mesmo depois da vitória de Doria nas prévias partidárias.

A insistência dos opositores internos de Doria pesou na decisão de desistir de concorrer na disputa presidencial.

Cancelamentos na agenda

Ao longo da semana, assessores próximos notaram uma mudança em Doria, que passou cancelar compromissos de sua agenda. Mas, naquele momento, não se cogitava a desistência da candidatura.

Embora Doria tenha sinalizado a saída da disputa, expoentes do PSDB ainda cogitam que esse anúncio seja uma estratégia para se fortalecer internamente no partido.

Se confirmada, a desistência de Doria prejudica a campanha de Garcia, que precisaria renunciar ao cargo de vice-governador até sábado (02/04) para concorrer ao Palácio dos Bandeirantes ou a qualquer outro cargo.

Depois da sinalização de Doria, aliados como o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), e o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Carlão Pignatari (PSDB), também estiveram no Palácio Bandeirantes para falar sobre os efeitos da mudança no cenário eleitoral tucano.

(* Colaborou Hyndara Freitas)

Mais lidas
Últimas notícias