Veja quem pode se vacinar nesta quinta (13/1) em SP, RJ, GO e SC

Primeiras doses de vacinas pediátricas da Pfizer têm previsão de chegarem aos estados até este fim de semana

atualizado 12/01/2022 23:30

VacinaRafaela Felicciano/Metrópoles

Em meio à nova alta de casos de Covid-19, estados e municípios reavaliam medidas de restrição para conter o avanço da Ômicron. No Distrito Federal, por exemplo, um novo decreto proibiu a realização de shows, festas e festivais.

Segundo dados do Observatório Covid-19 da Fiocruz, um terço das Unidades Federativas e 10 capitais encontram-se nas zonas de alerta intermediário e crítico para o índice de ocupações de unidades de terapia intensiva (UTI) no Sistema Único de Saúde (SUS) para Covid no Brasil.

A análise também indica que, até o momento, o patamar de leitos é diferente do verificado em 2021, quando houve picos de Covid, superlotação de UTIs e falta de oxigênio.

Segundo os pesquisadores do Observatório, o número de internações em UTI hoje ainda é “predominantemente muito menor” do que aquele observado em 2 de agosto, por exemplo, quando já no quadro de arrefecimento da pandemia leitos começavam a ser retirados. O cenário de vacinação avançada no país é o responsável pela menor gravidade das infecções.

Enquanto isso, capitais brasileiras continuam com a Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Veja onde se imunizar nesta quinta-feira (13/1) em São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Santa Catarina:

São Paulo

Para que adolescentes entre 12 e 17 anos recebam a primeira dose, é necessária a companhia dos responsáveis ou autorização assinada. Maiores de 18 anos que ainda não se imunizaram também continuam elegíveis.

Para a segunda dose, o intervalo é de 15 dias para quem recebeu Coronavac. No caso da AstraZeneca, são oito semanas. Quem foi inoculado com Pfizer precisa aguardar 21 dias.

O cronograma de aplicação da dose de reforço segue a orientação do Ministério da Saúde: quatro meses de intervalo mínimo depois da segunda dose.

Estão funcionando as 469 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e 82 Assistências Médicas Ambulatoriais integradas com UBSs, as AMAs/UBSs Integradas, das 7h às 19h, além dos megapostos, drive-thrus e farmácias parceiras, das 8h às 17h.

Os endereços podem ser acessados na página da prefeitura.

Rio de Janeiro

Na capital fluminense, imunossuprimidos podem receber a segunda dose de reforço quatro meses depois da primeira dose extra. Para a população geral, o reforço também é inoculado depois de quatro meses.

O Rio de Janeiro planeja a vacinação de crianças com início na próxima semana. Maiores de 12 anos que ainda não se imunizaram podem receber a primeira dose.

Para segunda dose ou dose de reforço, é preciso levar o comprovante da primeira dose. Os intervalos são de doze semanas para a AstraZeneca, 28 dias para a Coronavac e 21 dias para a Pfizer.

Os imunizantes são aplicados na rede municipal de saúde: UPAs, hospitais, centros de emergência regional, centros municipais de saúde, clínicas da família e centros de atenção psicossocial tipo II e III. Veja locais e horários de vacinação.

Goiás

Em Goiânia, não é necessário agendamento prévio. Adolescentes de 12 a 17 anos recebem o imunizante da Pfizer. Maiores de 18 anos também podem receber a primeira dose.

A segunda dose é aplicada oito semanas após, para quem foi imunizado com AstraZeneca ou Pfizer. Já o reforço pode ser inoculado depois de quatro meses.

Veja a lista de postos de vacinação.

Santa Catarina

Em Florianópolis, a prefeitura continua com o programa de vacinação sem alterações. A primeira dose é aplicada em maiores de 12 anos.

Depois do prazo estipulado no cartão de vacinas, é necessário voltar para complementar o esquema vacinal. Já o reforço é inoculado em quem tem, no mínimo, quatro meses completos da segunda dose.

Os postos de vacinação estão abertos das 8h às 16h. Veja a relação no site da prefeitura.

Mais lidas
Últimas notícias