Vacinação em Duque de Caxias tem novo dia de aglomeração e desrespeito

Profissionais de educação enfrentam longas filas na manhã desta segunda-feira (3/5). Segunda dose da Coronavac segue suspensa na cidade

atualizado 03/05/2021 11:43

Reprodução de imagem da fila de profissionais da educação aguardando vacina em Duque de Caxiasreprodução / TV Globo

Rio de Janeiro – Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, no Rio, segue sendo palco para desrespeito às regras sanitárias e ao Plano Nacional de Imunização, oferecendo aos moradores da cidade o serviço de vacinação sem planejamento e promovendo filas, aglomeração e risco aos integrantes dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde.

Os profissionais de educação, por exemplo, enfrentam longas filas na manhã desta segunda-feira (3/5) nos pontos de vacinação contra a Covid-19 no município. Algumas das primeiras pessoas da fila chegaram às 22h de domingo (2) na Vila Olímpica do município, na Rua Garibaldi.

Nenhum funcionário organizava a fila por volta das 6h15 e havia aglomerações.

A prefeitura da cidade também vacina, nesta segunda, pessoas com mais de 50 anos que tenham alguma comorbidade, usando a vacina AstraZeneca, como mostrou o G1. A aplicação da segunda dose da Coronavac está suspensa por falta de doses.

A Justiça do Rio de Janeiro bloqueou parcialmente bens do prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, por suspeita de irregularidades na campanha de vacinação contra a Covid-19 no município. Na decisão, o juiz Belmiro Fontoura Ferreira Gonçalves determinou o bloqueio de R$ 2,4 milhões do prefeito.

A ação foi movida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), que pediu a condenação de Washington Reis por ele se recusar a obedecer ao Plano Nacional de Vacinação (PNI) e as decisões judiciais que determinaram o respeito aos grupos prioritários, como os idosos.

Ainda segundo o MP, o prefeito expôs milhares de pessoas a risco com as aglomerações que causou durante a vacinação, e com a recusa em reservar a segunda dose da Coronavac.

Também tiveram bens bloqueados o secretário municipal de Saúde, Antônio Manoel de Oliveira Neto, a subsecretaria, Célia Serrano, e o ex-secretário de Saúde, Jose Carlos Oliveira.

Em nota ao G1, a Prefeitura de Duque de Caxias disse que, até o momento, nem o prefeito e nem o município foram intimados e que, quando isso ocorrer, pretendem recorrer.

Nesta segunda-feira (3/5) estão sendo disponibilizados pontos de vacinação para aplicação da primeira dose da vacina AstraZeneca para pessoas com comorbidades a partir de 50 anos de idade, profissionais de educação da rede estadual, privada e de instituições de ensino instaladas no município.

 

Mais lidas
Últimas notícias