TSE manda excluir fake news que liga Lula a atentado contra Bolsonaro

Decisão é da ministra Cármen Lúcia. Ela também determinou a retirada de notícia falsa que relaciona petista a empresário que negou marmita

atualizado 25/09/2022 16:35

Fotografia colorida da ministra Cármen Lúcia em seção na Suprema corte de Brasília Daniel Ferreira/Metrópoles

A ministra Cármen Lúcia, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou a remoção de notícias falsas relacionadas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). As decisões são deste domingo (25/9). As redes sociais têm 24 horas para excluir os conteúdos.

Uma das notícias falsas ligava o candidato petista a um suposto atentado que estaria sendo arquitetado contra o presidente Jair Bolsonaro (PL). Além disso, também foi feita uma falsa relação entre Lula e a facada dada por Adélio Bispo no presidente, durante a campanha de 2018.

A outra fake news é em relação ao empresário Cássio José Cenali, que esteve envolvido em uma polêmica quando se negou a oferecer uma marmita a uma mulher por ela apoiar o candidato do PT.

Essa segunda notícia falsa dizia que o empresário seria na verdade petista. Uma imagem de uma pessoa com boné do Partido dos Trabalhadores, que se parece com o empresário das marmitas, é veiculada como se fosse ele.

“As postagens nas redes sociais dos representados apresentam conteúdo produzido para desinformar. A mensagem transmitida como atestado pelas agências de checagem de informação e de imprensa, não se respalda em fatos verídicos”, escreveu a ministra na decisão.

Mais lidas
Últimas notícias