metropoles.com

Traficantes do Rio movimentaram mais de R$ 7 mi em 44 contas bancárias

Polícia Civil faz operação para desarticular esquema milionário de quadrilha envolvida com tráfico de drogas e lavagem de dinheiro

atualizado

Rio de Janeiro – Um esquema milionário de quadrilha envolvida com tráfico de drogas e lavagem de dinheiro foi desarticulado na manhã desta terça-feira (13/4) por agentes da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (DESARME), com apoio de investigadores de outras quatro delegacias especializadas.

A operação Caixinha S/A tinha como alvos os integrantes da maior organização criminosa do Rio, grupo que chegou a movimentar mais de R$ 7 milhões em 44 contas bancárias. Com a ação, a expectativa é reduzir os índices de roubos de veículos e cargas cometidos pela quadrilha.

Para investigar a atuação dos criminosos, foi montada uma força-tarefa que já dura dois anos e começou a partir da prisão em flagrante de Elton da Conceição, conhecido como “PQD da CDD”, detido por policiais militares no dia 21 de março de 2019.

Com ele, os agentes apreenderam armas de fogo, equipamentos militares, cerca de R$ 5 mil em dinheiro e diversas anotações de contabilidade do tráfico de drogas. As informações preliminares indicavam que o acusado exerceria a função de armeiro do tráfico.

Com o criminoso, os policiais também encontraram dezenas de comprovantes de depósitos, que deram origem ao inquérito, e identificaram uma rede de pessoas, em sua maioria familiares, responsáveis pelo recebimento e repasse de quantias em dinheiro do tráfico de drogas a presos do Sistema Penitenciário das mais diversas localidades.

Durante esse período, foram monitoradas milhares de transações bancárias suspeitas, que resultou na identificação de pelo menos 84 pessoas envolvidas no esquema criminoso, sendo 42 pessoas já presas e outras 42 responsáveis pelo recebimento dos valores e movimentação financeira, incluindo familiares próximos e pessoas do convívio íntimo das lideranças da facção.

A organização criminosa também é responsável por roubos de veículos, a pedestres e a estabelecimentos comerciais; “saidinhas” de banco e extorsões mediante sequestro.

A operação Caixinha S/A contou com agentes da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) e da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e também tem apoio de policiais penais da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP).

Novas buscas e ações estão programadas para serem realizadas em unidades prisionais do Complexo de Gericinó, na zona oeste do Rio, e no Presídio Tiago Teles, em São Gonçalo, na Região Metropolitana.






Quais assuntos você deseja receber?