Tio de criança baleada no Alemão nega confronto entre PM e traficantes

Agatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, morreu após ser atingida por um tiro de fuzil dentro de uma kombi

Arquivo pessoalArquivo pessoal

atualizado 21/09/2019 15:54

A família de Agatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, que morreu após ser baleada dentro de uma kombi no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, na sexta-feira (20/09/2019), nega que tenha havido troca de tiros entre traficantes e policiais militares na ocasião. A informação foi divulgada pelo jornal Extra

A menina estava no veículo com a avó e foi atingida por um tiro de fuzil. Segundo a publicação, o tio de Agatha, Elias César, afirmou que o único disparo efetuado foi o que atingiu a criança.

“A ação da PM se deu porque os policiais haviam mandado um motociclista parar, mas ele não atendeu à ordem. A kombi estava no Largo da Birosca (na Fazendinha) e os policiais atiraram na moto. É mentira que teve tiroteio. Foi um tiro só. Nenhum PM foi atacado”, afirmou.

Uma nota enviada pela Polícia Militar diz que equipes foram atacadas, ocasionando uma reação dos policiais. A coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) abrirá um procedimento para investigar o caso. 

O jornal informa que parentes, e amigos foram ao Instituto Médico Legal (IML) para a liberação do corpo. Os pais da menina não tiveram condições psicológicas de irem até o local.

De acordo com o tio Elias César, uma mulher esteve no instituto e se apresentou como funcionária do governo estadual, oferecendo ajuda para custos de funeral. A família não aceitou a ajuda.

Ainda não há informações sobre o local e o horário do velório e sepultamento da menina.

Últimas notícias