Testagem para Covid-19 no Rio tem filas longas e espera de horas

Moradores precisaram de paciência para fazer o exame no Parque Olímpico e na Cidade Nova. Capital terá 16 postos de testagem a partir de 7/1

atualizado 06/01/2022 11:31

Testagem para Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro teve longas filas nesta quinta-feira (6/1)Aline Massuca/Metrópoles

Rio de Janeiro – Com o aumento em 6.778% no número de casos de Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro, os polos de testagem para a doença estão lotados. Muito antes da abertura dos portões do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, uma imensa fila de pessoas com sintomas de coronavírus ou que tiveram contato com infectados se formou na manhã desta quinta-feira (6/1).

A fila de espera entre a triagem e o teste passou das duas horas na Arena Carioca, um dos dez locais montados pela Secretaria municipal de Saúde na capital para testagem gratuita. Muitos cariocas chegaram por volta das 6h30, mesmo com os portões abrindo apenas às 8h. 

0

O casal Lucas e Vanessa Esmeraldo, de 28 e 30 anos, respectivamente, chegaram cedo e ficaram mais de 1h30 na fila para fazer o exame de Covid-19. Eles não chegaram a agendar testes em farmácias ou laboratórios, que também estão com uma alta procura.

“Já está bem leve (sintomas). A testagem é uma precaução porque a gente estava com uma amiga que testou positivo. Aí, a gente veio testar também. Passamos o Ano Novo em casa, mas ela testou positivo depois. Passamos pela triagem e agora vamos para o teste. Já estamos aqui há 1h30 e pegamos fila na altura do portão”, disse Vanessa.

No posto inaugurado na Cidade Nova, zona central do Rio, na manhã desta quinta-feira (6/1), também houve muitas filas para realização do exame.

Criança apresenta quadro

Uma criança cardiopata com sintomas de Covid-19 foi levada pela mãe para ser testada. Luciana Rodrigues Campelo, de 48 anos, mãe da pequena Manuela, de 10, contou que a filha teve contato com um amigo da família, que testou positivo.

A criança aprendeu um quadro de febre e muita dor na barriga. Ela ainda não está vacinada, o que só deve acontecer no dia 20 de janeiro, depois que o prefeito Eduardo Paes divulgou o calendário de vacinação para crianças de 5 a 11 anos.

“Eu nunca trago ela ao médico logo no primeiro dia de febre. Mas é cardiopata, né? Um pulmãozinho dela, o direito é menos ventilado, não é perfeito. Então, eu estou com quatro chaves trancadas dentro de casa com ela. O meu maior medo é a parte respiratória. Ela já ficou muito tempo internada com pneumonia”, disse a mãe.

A partir desta sexta-feira (7/1), as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) do estado vão recebe tendas para testes rápidos e gratuitos de Covid-19. Desta forma, a cidade do Rio terá 16 polos de testagem espalhados pelas zonas norte, oeste, sul e centro.

Mais lidas
Últimas notícias