Temer é hostilizado ao visitar escombros de prédio desabado em SP

Em São Paulo para passar o feriado de 1° de maio, o presidente disse que não poderia deixar de ir ao local

atualizado 01/05/2018 12:24

O presidente Michel Temer concedeu uma coletiva de imprensa em frente ao prédio incendiado em São Paulo (SP). Por volta das 10 horas, o titular do Planalto confirmou aos jornalistas presentes que o imóvel pertencia à União. Segundo ele, o Governo Federal dará suporte às vítimas.

De acordo com o chefe do Executivo, como ele estava em São Paulo para passar o feriado de 1° de maio, não poderia deixar de ir ao local. Temer foi xingado por manifestantes, que também jogaram garrafas de água no presidente. O político permaneceu poucos minutos na área do desastre e partiu.

Um prédio de 24 andares desabou durante um incêndio de grandes proporções no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo, na madrugada desta terça-feira (1º/5). Uma igreja situada ao lado da estrutura que ruiu também pegou fogo. O templo ficou parcialmente destruído e teve de ser interditado.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, há suspeita de ao menos uma morte e dois desaparecidos. Mais de 60 viaturas e 200 militares trabalham para resgatar possíveis sobreviventes, animais e evitar um novo colapso.

Últimas notícias