Servidor: Geap reajusta plano de saúde em 12% em fevereiro

Seguradora de 465 mil pessoas destaca que valores estão de acordo com o determinado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar

Vinicius Santa Rosa/MetrópolesVinicius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 15/01/2020 11:59

A Geap Autogestão em Saúde, plano de saúde de 465 mil pessoas, sendo a maioria servidores públicos, reajustou a mensalidade cobrada dos clientes. A maior concentração de segurados está no Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo.

A partir de fevereiro, será praticada a alta de 12,54%. Segundo a Geap, o aumento “está de acordo com a legislação vigente”, exigida pala Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Seguindo a Resolução/GEAP/CONAD nº 438, de dezembro de 2019, o índice para custeio do exercício de 2020 terá vigência, a partir de fevereiro deste ano, para os planos Geap Referência, Geap Essencial, Geap Clássico, Geap Família e Geap Saúde 1 e 2.

Em alguns casos, a parcela pode ultrapassar R$ 1,6 mil, como na modalidade Geap Família para pessoas com mais de 59 anos. Na modalidade Geap Essencial, o valor fica em R$ 1,3 mil para a mesma faixa etária.

“Como ocorre anualmente em fevereiro, a mensalidade do seu plano de saúde coletivo, contratado perante a SulAmérica Saúde pela Qualicorp – incorporadora e sucessora legal dos direitos e obrigações da Aliança em convênio com o Ministério da Economia – será reajustada”, informou a seguradora, via email, a um servidor do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O grupo justifica a alta: “É fato que, nos últimos anos, os custos com assistência médico-hospitalar têm sido superiores à inflação no Brasil e na maioria dos países, devido a fatores como frequência de utilização do plano, maior longevidade da população e ampliação de coberturas com a incorporação de novas tecnologias, entre outros”, destaca o email.

Neste ano, após a intensa negociação, foi definido o índice de 26,24%, que será aplicado à mensalidade dos servidores do Inmetro a partir de fevereiro de 2020.

Em nota técnica, a operadora destaca que as decisões sobre o reajuste foram tomadas a partir de um estudo atuarial que considera alguns fatores, entre eles: aumento expressivo das despesas médico-hospitalares em decorrência da inflação médica, que tem sido bem maior do que a indicada pelo Índice Oficial de Inflação (IPCA); ampliação do rol mínimo de procedimentos obrigatórios estabelecidos pela ANS; e a frequência de utilização das coberturas.

Disputa judicial
Em 2019, o reajuste da Geap virou caso de Justiça. Depois de muitas disputas judiciais e discussões, as associações sindicais conseguiram fazer um acordo. Ao todo, foram mais de 150 mil ações.

Os representantes dos servidores concordaram em pôr fim às ações na Justiça e, em troca, o aumento programado de 19% caiu para 9,75%. Mais de 240 mil clientes têm mais de 59 anos.

A participação do governo federal é outro ponto questionado pelos sindicatos. Os servidores contribuem com 85% da mensalidade e a União participa com 15%. O ideal, para os servidores, seria cada um arcar com 50%.

Veja íntegra da resolução da Geap que reajusta o plano de saúde: 

Reajuste Geap by Thaís Paranhos on Scribd

Últimas notícias