metropoles.com

Aposentadoria de servidores bate recorde e chega a 36 mil em 2019

O grande número aconteceu pela expectativa da reforma da Previdência. Até 25 mil deixarão o serviço público por ano, prevê Economia

atualizado

Compartilhar notícia

Michael Melo/Metrópoles
servidor-publico-aposentadoria
1 de 1 servidor-publico-aposentadoria - Foto: Michael Melo/Metrópoles

Nunca o servidor público se aposentou tanto no Brasil. O ano de 2019 terminou quebrando o recorde histórico de 36 mil funcionários do governo indo para a inatividade. O índice é 91% maior que o de 2018, quando o total de desligamentos por tempo de trabalho chegou a 18.837.

A corrida pela aposentadoria acontece após as mudanças implementadas pela reforma da Previdência e deve movimentar o funcionalismo público federal por mais tempo. O Ministério da Economia estima que uma média de 25 mil servidores deixem os quadros do governo federal a partir deste ano, o primeiro com as novas regras.

O número de aposentadorias registrado no ano passado iguala ao de 1995, quando 36.869 servidores deixaram os quadros do governo federal — até então, o recorde da série histórica iniciada naquele ano. Além de esvaziar os quadros públicos, a aposentadoria de servidores representa aumento de gastos para o governo com a Previdência.

Os dados fazem parte de um levantamento do Metrópoles, com base em informações do Painel Estatístico de Pessoal (PEP), plataforma administrada pelo Ministério da Economia. O canal ainda não tem dados de 2020.

Apesar de entidades sindicais apontarem a reforma como o principal combustível para o movimento, técnicos do governo elencam outros fatores como favoráveis para o aumento das aposentadorias. A estimativa mais usada pela equipe do ministro Paulo Guedes mostra até 127 mil aposentadorias em 5 anos. Todo o governo possui pouco mais de 600 mil servidores.
7 imagens
1 de 7

2 de 7

3 de 7

4 de 7

5 de 7

6 de 7

7 de 7

O Ministério da Economia acredita que o principal motivo para as aposentadorias é o perfil demográfico. A pasta explica que o pico é fruto das contratações da década de 1980. A idade média do servidor público é de 58 anos, mostra a estimativa mais recente, de 2018.

“O segundo fator é a combinação de um contingente alto de servidores prontos para se aposentar, com a incorporação das Gratificações de Desempenho às aposentadorias. Entre os servidores do Executivo civil da União chegou-se a ter 108 mil com abono de permanência”, explica, em nota.

Contudo, o governo admite que a reforma colaborou para a aceleração nos pedidos do benefício. “Por fim, o terceiro motivo seria a reforma trabalhista do governo Michel Temer e a Nova Previdência (do governo Bolsonaro). Muitos desses servidores prontos para se aposentar acabaram por adiantar sua decisão de sair”, conclui o texto.

Entre os órgãos que mais tiveram aposentadorias em 2019, estão o Ministério da Saúde, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o Ministério da Economia, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

A título de exemplo, o INSS, que enfrenta uma das piores crises da história do órgão, teve, somente em 2019, mais de 6 mil aposentadorias.

 

Entre as mudanças após a reforma da Previdência para o funcionalismo público, está a regra de trabalho por 25 anos, 10 anos no serviço público e pelo menos 5 anos no cargo no qual irá se aposentar. Além disso, para o servidor da União, a alíquota de contribuição pode chegar a 22%.

“Tendência continuada”
Para o analista político do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), André Luís dos Santos, a corrida pela aposentadoria deve continuar em 2020. Ele elenca dois motivos: a reforma administrativa e o período de transição da reforma da Previdência.

“A reforma penalizou um pouco mais os servidores, mas o mesmo ocorreu na área privada. Em alguns setores, a procura pela aposentadoria cresceu 30%. Isso deve se prolongar. Tem um período de transição para quem tem direito a se aposentar e com certeza os servidores buscarão o benefício”, explica.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?