Sem Bolsonaro, ministros se reúnem com presidente da Petrobras

O encontro deve alinhar as questões debatidas entre Jair Bolsonaro, técnicos da estatal e ministros do governo

Tânia Rêgo/Agência BrasilTânia Rêgo/Agência Brasil

atualizado 15/04/2019 13:21

Com a interferência do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), sobre o aumento do preço do diesel, a cúpula do governo se reúne com representantes da Petrobras, nesta segunda-feira (15/04/19), para um alinhamento de questões relativas à política de combustíveis.

Na reunião, que ocorrerá às 14h30, no Palácio do Planalto, estão confirmados o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco; o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque; o ministro da Economia, Paulo Guedes; o chefe da pasta de Infraestrutura, Tarcísio Freitas; o ministro da Secretaria de governo, Santos Cruz; o secretário-geral da presidência, Floriano Peixoto; e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy.

Segundo a agenda oficial do chefe da Casa Civil, a pauta da reunião irá girar em torno da ação dos caminhoneiros, piso mínimo do frete, diesel e fiscalização. Apesar da confirmação dos assuntos, por volta de 10h, a comunicação da Casa Civil garantiu que o preço do diesel não seria comentado já que a definição do valor do combustível é atribuição da empresa estatal.

A expectativa é que a reunião sirva de alinhamento para um possível encontro entre Jair Bolsonaro, técnicos da Petrobras e ministros do governo. A reunião está programada para terça-feira (16/04/19).

Apesar da polêmica que envolve o governo federal e o aumento do preço do diesel, a comunicação da Casa Civil garantiu que o assunto não será comentado durante o encontro de hoje, já que a definição do valor do combustível é atribuição da empresa estatal.

Depois do encontro entre os ministros, Bolsonaro se reunirá ainda nesta segunda com Paulo Guedes, às 16h, no Planalto. Pela manhã, o chefe da pasta da Economia se encontrou às 11h com Lorenzoni e conversaram sobre a Junta de Execução Orçamentária.

Intervenção na Petrobras
Nessa sexta-feira (12/04/19), o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que, por “princípio”, Jair Bolsonaro (PSL) acredita que o governo não deve interferir nas decisões da Petrobras, mas teria “recomendado” aguardar a importação do diesel.

“A Petrobras, empresa de capital aberto sujeita a regras de mercado, não deve sofrer interferência política em sua gestão. Em face do impacto do ajuste anunciado, ele [o presidente] recomendou aguardar a importação”, explicou o porta-voz.

Últimas notícias